Dra. Adriana de Araújo

ESPECIALIDADE

Psicologia Clínica

ONDE ATENDE

Clínica We Care, no bairro do Anhangabaú, em Jundiaí (SP)

Dra. Adriana de Araújo

Apresentação

Adriana de Araújo é psicóloga clínica com 17 anos de profissão. Ela atende presencialmente em Moema, e Jundiaí (SP), por Skype. Adriana também é responsável pela empresa IDEAA - Instituto Desenvolva Excelência Adriana de Araújo. 

O que Trata

Adriana trabalha com várias vertentes, entre elas traumas, fobias, neurolinguística, coaching de vida, depressão, emagrecimento.

Formação Acadêmica

Treinada pessoalmente por John Grinder, co-criador da Programação Neurolinguístia (PNL) e Novo Código da PNL e estudou na NLP ACADEMY – UK;

Estudou hipnose no Instituto Milton Erickson de São Paulo, por 2 anos;

Estudo hipnose na Milton Erickson Foundation – USA.

Participou de grupo de estudos de dor no Hospital das Clínicas em São Paulo, por 2 anos.

Participou de grupo de estudos de ansiedade na UNIFESP, por 2 anos.

Estudou também EMDR, Coaching de vida, cognitiva comportamental, etc. 

Vasta experiência prática e teórica pelos anos de clínica e estudo.  

Cargos e Títulos

Adriana de Araújo é autora de oito livros publicados: 

– "O Segredo Para Emagrecer" – 2ª edição – Ed. Universo dos Livros – 2007. – Brasil
– "Treinamento Prático de Memorização" – Ed. Universo dos Livros – 2008. – Brasil
– "O Segredo Para Vencer a Depressão" – Ed. Universo dos Livros – 2009. – Brasil
– "O Segredo Para Vencer o Medo" – 2ª edição – Ed. Universo dos Livros – 2011. – Brasil
– "Como Dirigir Sem Medo" – Ed. Universo dos Livros – 2011. – Brasil
– "A Chave Para Emagrecer" – Ed. Mundial – 2013 – Brasil
– "Oltre La Paura" – Bonanno Editore – 2014. – Italia
– "Emagreça Sem Medo" – Ed. Laços – 2015 – Brasil

Qualidade de Vida

16/12/2015 06:00 - Atualizado em 20/11/2016 11:39

Afinal, conselho é bom ou não?

Veja quatro dicas para aprender a como lidar com o conselho de alguém.

POR

Dra. Adriana de Araújo

  • +A
  • -A

Muitas vezes, no ambiente profissional ouvimos conselhos de pessoas mais experientes para tomar uma decisão. Numa reunião, estamos sempre atentos ao que os outros estão dizendo. Adaptamos o que vemos sendo feito na empresa às nossas ações. Mas, afinal de contas, dar conselho é mesmo algo bom?

Pesquisa sobre o tema

Não há nada de gravemente errado ao falarmos de um conselho. Mas existem melhores e mais eficientes formas de ação. Por exemplo, um bom modelo de intervenção é dar informação. Ofereça conhecimento ao invés de conselhos muito específicos que ditam o caminho por completo para alguém. Essa informação tem como base uma interessante pesquisa feita na Universidade George Manson, EUA.


Tomada de decisão

Para ser útil e ajudar prontamente alguém a tomar a melhor decisão, você deve respeitar as diferenças envolvidas na sua realidade individual e a da pessoa em questão. Principalmente, no ambiente profissional, que cada um se destaca não somente pelo conhecimento técnico, mas pela forma de lidar com estresse, pressão e equipe. Se dar bem com diferentes tipos de pessoas é um treino constante.

 

Conselho

Quando se pensa em conselho, pode se imaginar ajudando alguém a tomar uma decisão sobre um assunto importante na vida dessa pessoa. Mais do que avaliar os prós e contras, é preciso entender as razões envolvidas na questão. Por exemplo, se um funcionário pensa em pedir aumento num momento de crise, como esse agora que o país está passando e vai se aconselhar com alguém da empresa é útil a leitura das partes como um todo. Uma parte deseja o aumento e a outra vê que esse pedido pode trazer aspectos negativos, afinal, é um momento delicado para todos.

Qual solução? Muito mais do que apenas ouvir outras pessoas, fazer uma lista com os pontos positivos e os negativos, mensurar o peso de cada resposta, é se informar da realidade da empresa, do mercado como um todo, etc. As informações são mágicas quando bem usadas. Não é somente escolher o melhor momento e usar corretamente as palavras, mas saber se é viável e interessante para a empresa seu pedido. Além de ser bom para você, como será bom para quem vai lhe pagar mais? Quais estratégias vai montar para alcançar seus objetivos?  

Quando você ouve um conselho e resolve seguir a ideia do outro ao pé da letra, você perde sua autonomia e com isso fica sem liberdade de ação. É, claro, que alguém pode sugerir uma ideia maravilhosa que deve ser seguida, mas cuidado, para não agir pela metade. Sua personalidade, possivelmente, não é a mesma da pessoa que lhe orienta. Seguir um conselho pela metade, sem adaptação, pode ser algo desastroso.

 

Faça um filme mental da sua ação

Uma boa técnica é fazer um “filme” completo na mente da sua parte e como pensa em agir. Estando bem ciente dos seus comportamentos e do conselho que você seguirá. Esse tipo de ação combina com você? O que precisa para seguir e fazer como foi sugerido? Você está pronto? Tem que treinar? Tem que adaptar? O que precisa?

 

Técnicas de treinamento

Durante o processo de coaching, a neutralidade é mantida sempre. O profissional oferece informações, dicas, e sugestões ao invés de conselhos e regras prontas para ação. No modelo de terapia tradicional, é a mesma coisa, o psicólogo não faz comentários invasivos oudirecionados. O profissional traz conhecimento, análise e ideias para a melhoria do seu paciente.

Gostou do artigo? Deixe seu comentário.

Conheça também a nossa página no Facebook do Vivo Mais Saudável. 

TAGS
conselho
como lidar com o conselho

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ

Veja Também