Psicologia Infantil

11/01/2016 10:00 - Atualizado em 06/06/2016 03:04

Veja dicas para lidar com o consumismo da criança

Consumismo da criança pode ser contornado com bons hábitos no cotidiano.

POR

Redação

  • +A
  • -A

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o país conta com mais de 44 milhões de crianças entre 1 e 14 anos. Para apelar a esse público, a publicidade investe em cheio e atiça o consumismo da criança, um grupo que rende muitos lucros a inúmeras empresas desde o setor alimentício até o de brinquedos.

Aos pais, resta a dor de cabeça de controlar os impulsos gastadores dos pequenos, que desejam tudo tão rápido e ainda mudam de ideia no caminho. Hoje são apaixonados por um determinado artista ou personagem. Na próxima semana, querem a coleção completa de bonecos de outra animação televisiva. Cabe aos responsáveis entender a mente infantil e driblar o consumismo da criança. Saiba abaixo como isso é possível.

Consumismo da criança

Consumismo da criança começa na televisão

Em 2010, após os resultados de uma pesquisa do IBGE, os publicitários brasileiros passaram a criar campanhas ainda mais sedutoras para os pequenos. Influenciados pela televisão, o espírito consumista no mercado infantil movimentou apresentadores, atores famosos e personagens a convidar os pequenos a consumirem produtos destinados a elas.

De acordo com pesquisa do Ibope, as crianças entre 4 e 11 anos ficam na frente televisão por, aproximadamente, 5 horas diárias. Em termos mundiais, as brasileiras são as que mais estão presas à programação televisiva. Seja por falta de orientação dos pais ou mesmo desincentivo à leitura e outros produtos culturais, o consumismo da criança no Brasil é bastante forte.

Um dos principais impactos da publicidade para os pequenos está nos hábitos alimentares. De acordo com o Ministério da Saúde, o consumo de refrigerantes no país já aumentou mais de 400% desde 1975. A explosão do espírito consumista pela televisão tem sido apontado como um dos fatores que mais contribuem para esse problema.

6 dicas para driblar o consumismo da criança

Veja como é possível contornar o consumismo da criança no dia a dia:

Desligue a televisão

Como a publicidade é uma das principais causas do consumismo, melhor manter os pequenos longe da TV. Limite a assistência deles a apenas alguns programas, que você acredita serem adequados para a idade.

Viaje mais

Troque os presentes por passeios. Além de incentivar a curiosidade das crianças, você permite que elas conheçam outros locais, pessoas e realidades, desvinculando-as de sua zona de conforto.

Fuja do shopping

O que os olhos não veem... as crianças não desejam. Procure não levar os pequenos ao shopping a menos que seja necessário. Quando entram em contato com uma infinidade de produtos, fica difícil segurar a tentação – e a insistência – deles.

Ensine a valorizar

O consumismo da criança pode ser contornado quando ela aprende o que realmente custa cada coisa. Explique para ela como foi possível comprar aquela boneca ou aquele carro, como é possível ter uma casa (as contas que precisam ser pagas, os custos de manutenção) e ensine hábitos de controle de dinheiro, como administrar uma mesada, por exemplo.

Passe mais tempo com a família

Quando a criança passa mais tempo conversando com os pais e irmãos, sente menos necessidade de se render ao consumo e brinquedos. Além disso, é uma oportunidade saudável de compartilhar valores e conhecimento.

Recicle

Utilize materiais que poderiam ser descartados para confeccionar novos itens. Um caderno não usado pode ser personalizado com recortes de revista, por exemplo. Aproveite para exercer a criatividade.

E aí, curtiu as dicas para tentar contornar o consumismo na família? Compartilhe!

TAGS
consumismo
finanças
mesada
educação infantil

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ