Psicologia Infantil

29/10/2014 01:13 - Atualizado em 25/11/2016 06:54

Veja como criar um bom relacionamento entre pais e filhos

Entenda quando a afeição pode ultrapassar limites no relacionamento entre pais e filhos.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O relacionamento dos pais com os filhos começa a se construir desde a gestação. A forma como os pais vão tratar os pequenos é uma escolha que cabe somente a eles, mas existem determinados tipos de tratamento que podem ser prejudiciais para a formação da criança.

A proximidade, por exemplo, é um dos principais fatores que devem ser dosados no relacionamento entre pais e filhos.

relacionamento-entre-pais-e-filho

A afetividade no relacionamento entre pais e filhos

Desde muito pequenos os seres humanos têm a necessidade de sentirem-se amados e admirados. Em um ambiente familiar, principalmente, o carinho deve ser expresso sempre que possível, para que a criança se sinta reconfortada e segura para arriscar a realização de seus desejos. É nessas situações do cotidiano que o laço afetivo entre as famílias se forma.

É na família que a criança desenvolve suas estruturas psicológicas, seu emocional e cria sua identidade e comportamento. É por isso que devem haver tradições e rituais no relacionamento entre pais e filhos.

São momentos que a família divide e que tornarão aquele tipo de prática algo comum para os filhos. Costumes e atitudes que os pais querem desenvolver nos filhos devem ser reforçados nesses momentos.

A condição básica do relacionamento entre pais e filhos é a educação, que deve ser repassada através de exemplos e diálogo. Transmitir os valores e princípios morais necessários para o convívio em sociedade é papel dos pais.

O estabelecimento de limites dentro do ambiente familiar é o primeiro passo para que a criança conheça a linha que separa o certo do errado e o permitido do proibido.

Relacionamento entre pais e filhos: Até onde ir

O problema é quando as demonstrações de carinho, os hábitos e os limites se confundem, saindo dos padrões. A afetividade excessiva dos pais pode representar a dificuldade de entender que, após o nascimento, crianças e adultos passam a representar dois corpos distintos.

A vontade de ter o filho sempre por perto pode ser um sinal da dificuldade dos pais em dar independência aos pequenos. Em contrapartida, o excesso de proximidade no relacionamento entre pais e filhos também pode ser motivo de constrangimento para os filhos.

Muitas vezes os pais desejam dar demonstrações de afeto aos pequenos quando estão em público, mas nem todas as crianças recebem bem essas atitudes. A insistência dos pais em abraçar e beijar os filhos quando eles não estão à vontade, pode constranger o pequeno.

O segredo para que o relacionamento entre pais e filhos se desenvolva de maneira sadia e renda aprendizados positivos para adultos e crianças é dosar as atitudes.

Observar o filho, perceber as brincadeiras e os carinhos com os quais ele se adapta e entender quando algo que você gostaria não é o que agrada a seu filho. Tudo isso ajuda a propor limites e a construir uma relação de respeito na família.

Que tal aplicar essas dicas para lidar melhor com o comportamento infantil? Deixe um comentário e não esqueça de acompanhar nossa página no Facebook para receber todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
pais e filhos
educação
comportamento infantil
comportamento

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ