Psicologia Infantil

16/03/2015 01:41 - Atualizado em 03/12/2016 12:05

Sedentarismo e lanches prontos deixam as crianças obesas

A principal medida para reverter o caso de crianças obesas é a reeducação alimentar.

POR

Redação

  • +A
  • -A

As crianças obesas podem ter complicações durante a infância e até mesmo na fase adulta. E os casos de obesidade infantil têm crescido cada vez mais nos últimos anos. As principais causas desse quadro preocupante estão relacionadas a fatores hereditários, à alimentação desequilibrada e à falta de atividades físicas.

Porém, com alguns cuidados na alimentação diária e outras mudanças nos hábitos, é possível reverter a situação e melhorar a qualidade de vida das crianças. Isso também evita que elas se tornem adultos com problemas como diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares.

criancas obesas

Causas e índices de crianças obesas

O excesso de peso ainda na infância é considerado um problema de saúde pública. De acordo com as avaliações dos profissionais da saúde, os principais culpados pelo aumento da obesidade infantil são os pais. Isso é afirmado porque são os hábitos do ambiente familiar que determinam o comportamento do filho até a idade adulta.

Segundo pesquisas da Organização Mundial da Saúde (OMS), o índice de obesidade infantil é cada vez mais grave. Cerca de 155 milhões de jovens apresentam excesso de peso em todo o mundo, ou seja, uma em cada dez crianças é obesa. Nos últimos 20 anos, o índice de crianças obesas cresceu aproximadamente 240% no Brasil.

A causa mais comum para a obesidade infantil é o desequilíbrio entre o que a criança come e a energia que ela gasta. Passar muito tempo na frente da televisão, do videogame e do computador diminui a queima de calorias e contribui para o sedentarismo.

Além disso, assistir a TV também estimula o consumo de alimentos pouco nutritivos e ricos em calorias. Isso ocorre porque mais da metade dos comerciais veiculados durante programas infantis fazem propaganda de lanches, refrigerantes, sucos ou outros tipos de alimentos hipercalóricos.

Somado a isso, acontece o aumento do consumo de alimentos gordurosos e de baixo valor nutritivo, como biscoitos, salgadinhos industrializados e doces, que são os grandes vilões para o alto índice de crianças obesas.

Consequências no desenvolvimento das crianças obesas

Com o excesso de peso, surgem também outras consequências graves para o funcionamento do organismo. As crianças obesas correm o risco de desenvolver problemas de saúde como hipertensão arterial, diabetes, doenças respiratórias, alterações ortopédicas, doenças cardiovasculares e distúrbios psicológicos.

Quadros de depressão também são comuns. Frequentemente elas sofrem bullying na escola, isolam-se e ficam com baixa autoestima. Essas situações acabam dificultando o relacionamento social do jovem e resultam em complicações psicológicas mais sérias.

Na maioria dos casos, a obesidade infantil acompanha a pessoa até a idade adulta. Cerca de 70% das crianças que chegam à adolescência obesas carregam o problema pelo resto da vida. Dificuldades cardiovasculares e respiratórias que se iniciam na infância também podem se agravar com o passar dos anos.

O tratamento das crianças obesas requer um diagnóstico detalhado, orientação nutricional e mudanças no estilo de vida. A principal medida para reverter o quadro é a reeducação alimentar, optando por refeições mais saudáveis que contenham frutas, verduras, legumes e carnes magras.

Os pais precisam ficar atentos aos hábitos dos filhos. Para evitar a obesidade, é indicado proporcionar também uma rotina mais ativa para as crianças. A prática regular de exercícios deve ser feita em todas as faixas etárias, diminuindo, assim, o tempo de uso dos aparelhos eletrônicos.

Como você incentiva seu filho a manter hábitos saudáveis? Conte para nós! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar por dentro de todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
alimentação infantil
obesidade infantil
sedentarismo
hábitos saudáveis

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ