Psicologia Infantil

28/07/2015 12:17 - Atualizado em 09/12/2016 09:00

Saiba como lidar com o complexo de Édipo

O conceito criado por Sigmund Freud é considerado uma fase natural da criança.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O conceito do complexo de Édipo foi criado por Sigmund Freud, pai da psicanálise. A ideia se refere a um conjunto de desejos amorosos e hostis que a criança sente em relação aos pais na primeira infância.

A psicóloga Denise Regina Quaresma da Silva, especializada em Psicanálise, explicou ao Vivo Mais Saudável o que esse conceito representa e como os pais devem lidar com a questão durante o crescimento das crianças.

complexo de edipo

Entenda o complexo de Édipo

Ao se desenvolver, a criança passa por fases evolutivas. Conheça quais são as primeiras delas:

- Fase oral: essa é a primeira, quando o primado do prazer situa-se na boca e na pele. Vai até 1 ano de idade, aproximadamente

- Fase anal: na continuidade, a fase anal, que vai aproximadamente até os 4 anos, é quando a criança conhece seu corpo e seus limites, buscando controlar seus esfíncteres para comandar seu corpo

- Fase fálica: no terceiro período, a criança se volta ao reconhecimento dos seus genitais. Reconhece em outras crianças a diferença sexual e cria teorias como, por exemplo, achar que a menina tinha um pênis, mas que foi “cortado”. O período pode ocorrer entre os 3 e os 6 anos de idade.

“Denominamos isso de complexo de castração. Nessa fase, ocorre o complexo de Édipo, quando a menina 'rivaliza' com a mãe e sente atração pelo pai, e o inverso ocorre com o menino”, explica Denise.

Nesse período, a mãe interdita o pai para a menina e vice-versa. Essa interdição ocorre em atitudes corriqueiras, do dia a dia, como não permitir que a criança durma junto com os pais, ou quando o casal sai sozinho para ir ao cinema ou jantar a sós, por exemplo.

“Com essas atitudes, a criança dessa faixa etária percebe que os pais se amam, que a mãe ama aquele homem que a faz feliz. Os pais ensinam para seus filhos e filhas o caminho da realização conjugal, da realização de uma mulher e de um homem”, esclarece a psicóloga.

Assim, a criança, castrada de seu desejo incestuoso, vai buscar no mundo um homem ou uma mulher que a realize.

Como identificar o complexo de Édipo

Denise explica que a identificação ocorre, principalmente, pelo início da fobia infantil, que é normal nessa fase. Segundo ela, é comum a criança anunciar que tem medo de dormir sozinha, pois desloca seus temores da castração para outros objetos.

“É importante não nutrir a fobia, dizer que não há nada a temer e ajudar a criança a superar seus medos, enfrentando-os. Além disso, é importante não deixar a criança dormir com os pais, pois ela sabe o que ocorre no quarto com eles e objetiva, inconscientemente, impedir o encontro amoroso dos dois”, orienta a profissional.

A psicóloga explica, ainda, que a passagem pelo complexo de Édipo é natural, no desenvolvimento psíquico da criança. “O problema é quando não ocorre a castração edípica, quando meninos seguem sendo os homens das mães e as meninas tendo o pai como seu príncipe”, comenta Denise.

complexo de edipo

Como lidar com a situação

Encarar e compreender esse processo humano com normalidade é o mais importante. Os pais precisam entender que algumas proibições impõem limites simples e são essenciais.

“Exemplo do beijo na boca, que é uma promessa para um futuro sexuado: é preciso ensinar que os filhos não beijam a mãe e o pai na boca, que os pais dormem juntos porque se amam e que a criança dorme no seu quarto, onde tem a privacidade necessária para ter seus próprios devaneios”, completa a especialista.

Qual a sua opinião sobre o complexo de Édipo? Você conseguiu identificar essa fase nos seus filhos? Deixe um comentário! E continue no Vivo Mais Saudável para conferir outras dicas de bem-estar para toda a família.

TAGS
castração
fases da infância
mãe e filho
desejo sexual

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ