Psicologia Infantil

20/12/2014 03:46 - Atualizado em 04/12/2016 07:46

Papai Noel existe: Saiba se alimentar imaginário infantil é correto

Pais sentem-se pressionados quando as crianças perguntam se Papai Noel existe.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O Natal está chegando e, com ele, as tradicionais perguntas das crianças. Papai Noel existe? Como ele entra na minha casa? E como ele não erra o presente? Os pais se vêem pressionados por uma resposta e acabam soltando uma resposta qualquer, que pode frustar o imaginário infantil. Mas será que essa é a maneira correta de lidar com a situação?

Acreditar que Papai Noel existe faz bem

A fantasia faz parte da infância. Acreditar que Papai Noel existe, assim como Coelho da Páscoa, Fada do Dente e outros personagens, ajuda a criança a cercar o seu próprio mundo e desenvolver os próprios valores e opiniões. Alimentar essa imaginação infantil é muito saudável e é algo que deve ser feito com muita atenção pelos pais.

papai noel existe

Muitas famílias têm medo de deixar fluir a imaginação infantil nesse sentido, acreditando que o filho construirá uma ideia errada de mundo e que isso pode abalar o emocional dele. O que não é verdade. A criança não faz a ligação do Papai Noel com a realidade. Para os pequenos, o bom velhinho é uma figura mítica como os dragões e bruxas que estão nas histórias que ouve.

Acreditar na existência de um velho senhor barrigudo, com uma barba branca e longa, que dirige um trenó e usa uma roupa vermelha, é também crer que as atitudes boas que a criança toma ao longo da vida sempre terão uma recompensa. Alimentar a ideia de que Papai Noel existe é uma forma de mostrar ao pequeno que fazer o bem sempre é mais interessante.

Além disso, a criança que acredita em Papai Noel cria angústias e expectativas muito saudáveis. O pequeno passa a noite esperando que o velhinho desça pela chaminé, quer adiantar o tempo, assim como em muitos outros momentos. Mas não adiantará. Somente na manhã seguinte é que o presente estará lá. A espera obrigatória faz com que o pequeno aprenda a lidar com seus anseios sozinho.

Papai Noel existe: Como contar a verdade

A dica mais fundamental de todas é: não tente o caminho da realidade. A criança que pergunta aos pais se Papai Noel existe não vai acreditar em um simples “não”. Independentemente do que você diga, a crença continuará existindo. Isso porque a criança ainda não está pronta para abandonar uma ideia tão reconfortante e sólida como essa.

O que os pequenos buscam é uma forma de substituir essa crença fantasiosa. Portanto, o caminho é entrar no mundo da fantasia junto com eles. Encontre caminhos para explicar que o Papai Noel não é uma pessoa que mora no Polo Norte.

Use o vocabulário infantil e o mundo de imaginação da infância para mostrar que o velhinho é a personificação da ideia de que no Natal as pessoas fazem o bem umas para as outras.

Mas para que esse diálogo aconteça, os pais precisam prestar atenção no que os filhos perguntam e nos sinais que são dados na hora de perguntar. Não basta dar uma simples resposta para livrar-se do problema. É preciso conhecer o seu filho. Se ele demonstra tristeza ao perguntar se Papai Noel existe, é muito provável que ele vá se frustrar caso você confirme que ele não existe.

E aí, já sabe o que vai responder ao seu filho quando o Papai Noel voltar à pauta? Deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
natal
papai noel
crianças
imaginário infantil

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ