Psicologia Infantil

03/03/2016 11:00 - Atualizado em 01/12/2016 09:18

Musicalização infantil pode deixar seu filho mais inteligente

Aulas de música estimulam raciocínio, concentração e disciplina nas crianças.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Você conhece alguém que não goste de escutar música? Provavelmente não. Além de nos dar prazer, ela também ajuda a estimular o cérebro. Os benefícios são ainda maiores quando o contato com essa arte começa desde cedo. Eis o grande argumento em favor da musicalização infantil.

E o estímulo musical pode começar quando a criança ainda está na barriga da mãe. É fato conhecido que o útero não é isolado de ruídos externos e que os bebês reagem a informações sonoras.

Musicalização desde a barriga

Para um estudo publicado em 1983 na revista Science, os pesquisadores Beryl R. Benacerraf e Jason C. Birnholz monitoraram, via ultrassom, a reação de um grupo de fetos a sons emitidos por uma fonte sonora movida a bateria, posicionada sobre os ventres das mães. O resultado foi que, a partir da 24ª semana de gestação, os bebês começaram a piscar quando ouviam os sons.

Depois de nascer, desde os primeiros meses até o fim da vida, a música continua estimulando todas as partes do nosso cérebro. Mas, quando o contato evolui para o campo prático, os benefícios podem ser ainda maiores. Conhecendo os efeitos positivos que a musicalização infantil pode provocar no seu filho, você com certeza vai cogitar matriculá-lo em uma aula para que ele aprenda a tocar um instrumento.

aluno de musicalização infantil toca violino

Benefícios da musicalização infantil

Em primeiro lugar, é muito provável que a criança goste da ideia de aprender a tocar um instrumento. Assim, a musicalização infantil une o útil ao agradável: o jovem se diverte e, ao mesmo tempo, aprende a ter disciplina. Isso porque, para conseguir tocar bem, é necessário muito estudo, prática e paciência.

Além desses aspectos mais óbvios, a musicalização infantil trabalha capacidades específicas que a criança está desenvolvendo. Saiba mais abaixo:

Foco, concentração e raciocínio

Para conseguir tocar, a criança precisará de muito foco para entender como o processo funciona. Na hora de executar uma música, ela usará raciocínio como nunca para unir a informação visual das notas na partitura, a informação tátil do manuseio do instrumento e a informação auditiva - tudo isso respeitando os limites do compasso.

Coordenação motora

Há grandes diferenças entre um instrumento e outro, mas todos eles exigem algum nível de coordenação motora para serem tocados. Na musicalização infantil, a criança exercita a chamada motricidade fina - capacidade de usar os pequenos músculos do corpo para movimentos sensíveis e precisos.

Sociabilidade

Se a criança tiver a oportunidade de ensaiar em conjunto com outros músicos, estará trabalhando ainda a comunicação, a integração social e o trabalho em grupo.

Memória

Mesmo quando tocamos um instrumento sem tirar o olho da partitura, exercitamos a nossa memória o tempo todo para lembrar o que cada sinal significa e qual é o som que devemos tirar do instrumento em cada trecho.

Matemática

Talvez quem nunca tocou um instrumento musical não faça ideia de como a relação entre as notas musicais e o compasso é totalmente matemática. No estudo das escalas, por exemplo, o aluno aprende o que é uma terça, uma oitava, um semitom…

Criatividade

Se a criança já está dominando um instrumento musical, que tal estimulá-la a compor? É uma maneira excelente de incentivar a criatividade, o que é fundamental para o desenvolvimento saudável do cérebro.

Gostou das nossas dicas? Então não perca tempo e facilite o contato do seu filho com a música, seja apenas apreciando ou, melhor ainda, aprendendo a tocar! Se você tem dúvidas ou sugestões sobre o assunto, deixe um comentário abaixo. Não se esqueça de compartilhar o artigo nas redes sociais e de conferir outras dicas de bem-estar aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
matemática
criatividade
foco
disciplina

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ