Psicologia Infantil

17/04/2015 02:24 - Atualizado em 11/12/2016 12:09

Identifique os sintomas da psicopatia infantil

Mesmo em crianças, já é possível perceber tendências violentas e perigosas.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Um sorriso angelical muitas vezes pode esconder um transtorno perigoso. A psicopatia infantil se mostra desde o começo da vida, quando a criança começa a desenvolver suas habilidades motoras e cognitivas.

As tendências violentas se manifestam quando elas brincam com os animais e os amiguinhos, passando de uma simples maldade, como puxar os cabelos, para a crueldade, matando o cachorro de estimação, por exemplo.

Em 1993, um filme mostrou como o distúrbio se manifesta nos pequenos. “Anjo Malvado”, dirigido por Joseph Ruben e estrelado por Macaulay Culkin, retrata um menino que, após assassinar o irmão menor na banheira, vai morar com a tia e também planeja a morte dela e do primo.

Denso, não? Pois essa é a natureza psicopata. Saiba mais sobre psicopatia infantil e como lidar com esses menores perversos.

psicopatia infantil

Nascido para o mal

Assim como não existe uma cura para a psicopatia infantil, também não há um período para o início das manifestações.

Os pais conseguem perceber o comportamento destrutivo dos filhos nas pequenas ações, como estragar carrinhos em acidentes imaginários, decapitar bonecas, tratar os bichinhos de pelúcia com crueldade e, em casos mais graves, matar os animais de estimação ou machucar pessoas por prazer.

Logo na infância, é possível perceber as mentiras frequentes, as condutas desafiadoras com pais e professores, a impulsividade e irresponsabilidade, a baixa tolerância à frustração, a irritabilidade e a tendência exagerada em culpar os outros.

Além disso, os psicopatas se preocupam apenas com seus interesses e são insensíveis e frios quando algo não lhes diz respeito. Não sentem culpa ou remorso, demonstrando falta de empatia ou preocupação com os sentimentos alheios.

Quando são pegos em flagrante, os pequenos psicopatas não ficam com vergonha nem se constrangem. Não conseguem manter amigos e dão pouca importância para a escola, o trabalho ou qualquer responsabilidade. Violam as regras sociais e acham normal praticar vandalismo e danificar os bens de outras pessoas.

Nos quadros de psicopatia infantil, é comum também que os menores participem de pequenas fraudes, como falsificação de documentos, roubos e assaltos. Em casos graves, podem cometer homicídio.

Quem já manifestava psicopatia infantil?

Jon Venables e Robert Thompson, dois garotos de dez anos de idade que moravam em Liverpool, na Inglaterra, assassinaram de forma brutal o garoto James Bulger, de apenas dois anos. O crime, ocorrido em 1993, chocou o mundo todo pela crueldade e a frieza dos menores, típicas da psicopatia infantil.

James foi sequestrado, abusado, torturado e morto com golpes de ferro e pedras na cabeça. Para encobrir o assassinato, Jon e Robert colocaram o bebê sobre trilhos de trem e deixaram o corpo ser partido em dois.

Eles foram julgados e condenados à prisão por tempo indeterminado, mas, em função de protestos e manifestações populares, acabaram soltos em 2001, recebendo sigilo de justiça e novas identidades.

Apenas o psiquiatra consegue realizar um tratamento mais eficiente e orientar os pais na lida com os pequenos psicopatas. O ambiente familiar precisa ser de amor e carinho para que a mente perigosa da criança possa ser contornada e ela consiga assimilar o mínimo sobre os sentimentos de culpa e remorso, mesmo que tenha nascido sem essa capacidade.

É importante lembrar que o psicopata não consegue sentir emoções. Caracterizada como um transtorno de personalidade vitalício, a psicopatia não tem cura médica.

O que você pensa sobre o assunto? Conte nos comentários! E não esqueça de continuar ligado no Vivo Mais Saudável para conferir dicas de comportamento infantil.

TAGS
psicopatia
comportamento infantil
antissocial
violência

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ