Psicologia Infantil

20/03/2015 03:29 - Atualizado em 05/12/2016 11:46

Criança transgênero existe? Saiba como os pais devem tratar a situação

O debate sobre crianças transgênero ressalta a importância da compreensão dos pais.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O que você faria se a sua filha menina dissesse que não se sente bem no próprio corpo e quer ser menino? Você já pensou que pode ser pai ou mãe de uma criança transgênero?

É preciso muita cautela e compreensão no momento de lidar com isso, e lembrar que sexo e sexualidade não se relacionam, nesse caso. A orientação sexual diz respeito à atração por outras pessoas e define se alguém é homo, bi ou heterossexual. Já a identidade de gênero é como o sujeito se reconhece: masculino ou feminino.

Uma pessoa transgênero não precisa ser operada para "mudar de sexo". Isso pode estar apenas no comportamento, pois ela se sente como alguém do sexo oposto. E as redes sociais têm se tornado uma forma de expor essa realidade e abrir discussões.

transgenero

Internet dá visibilidade à criança transgênero

Democrática, a internet torna possível expor praticamente qualquer situação. No caso das crianças transgênero, não é diferente. Seja por iniciativa própria ou dos pais, os pequenos têm utilizado as redes sociais, como Facebook e Youtube, para mostrar como se sentem e como querem respeito.

Um exemplo é o de Milla, cujo sexo biológico é feminino, mas cuja identificação é como menino. Natural da Nova Zelândia, a criança teve um vídeo postado no Facebook e já ganhou mais de 7 milhões de visualizações. Nas imagens, ela diz que só busca compreensão e que sempre se sentiu no corpo errado. A gravação também mostra fases do desenvolvimento de Milla.

Outro caso é de Jazz Jennings, menino biologicamente, mas que se reconhece como menina. A transgênero se tornou uma das maiores ativistas infantis da causa. Com 13 anos de idade, ela é bastante popular e expõe seus sentimentos num vlog (blog de vídeos). Recentemente, ela estrelou a campanha de uma marca de cosméticos dos Estados Unidos.

O debate sobre identidade de gênero na infância causa polêmica entre pais e psicólogos. Jazz, por exemplo, foi indicada por uma importante publicação internacional como uma das 25 jovens mais influentes do país. Tudo isso em função da causa que apoia e representa.

Como dar apoio a uma criança transgênero?

Diversos pais no mundo todo lidam com crianças que não se reconhecem no sexo biológico. No rol de celebridades que vivem essa situação estão Angelina Jolie e Brad Pitt, cuja filha Shiloh prefere ser chamada de John. Eles sempre permitiram que ela se vestisse como menino e respeitam a sua individualidade.

O caso das crianças transgênero é bastante complexo e tem sido estudado melhor em áreas de medicina e psicologia. Os psicólogos sempre recomendam aos pais que mantenham coragem e força para defender os filhos do preconceito e deixar que se expressem abertamente, sem restringi-los ou julgá-los.

No entanto, não é correto dar um diagnóstico muito preciso logo na infância. Com o tempo, a criança vai aprender com suas tendências, sentimentos e convivência social. É por isso que não cabe aos pais direcionar a sexualidade e a personalidade, mas manter um diálogo aberto e explicar da melhor forma possível questões sobre sexo e gênero.

Gostou das dicas de psicologia infantilConte para nós! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar por dentro de todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
bem-estar infantil
identidade de gênero
preconceito
comportamento infantil

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ