Psicologia Infantil

20/03/2016 12:00 - Atualizado em 06/12/2016 11:26

Contador de histórias atiça a imaginação das crianças

Tão antiga quanto a própria humanidade, a tradição de contar histórias ainda é uma prática encantadora.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Da pintura em cavernas aos romances de cinema, fábulas e contos sempre fascinaram a humanidade. Embora os métodos tenham mudado, o desejo de contá-los e de ouvi-los manteve-se inalterado e ainda impacta a forma como encaramos a vida. Isso pode ser ainda mais forte na infância, fase em que sempre há um contador de histórias para envolver a imaginação dos pequenos.

O dia 20 de março é dedicado a esses profissionais. Saiba mais sobra a importância da contação de histórias.

contador de histórias com grupo de crianças

Dia do Contador de Histórias

Há mais de 27 mil anos, desde quando as primeiras pinturas rupestres foram descobertas, contar histórias tem sido um dos nossos métodos de comunicação mais fundamentais. Vários mitos e tradições que conhecemos hoje possuem como figura central justamente a dispersão de histórias.

Essa atividade é tão fascinante que, em diversas culturas, o contador de histórias é visto como uma pessoa com discernimento espiritual ou poderes especiais. Seria algo equivalente a um curandeiro em uma tribo indígena.

Justamente por esse significado todo especial que o dia dos contadores de histórias é reconhecido. Trata-se de um momento que possui o especial objetivo de mostrar essa prática como uma forma de arte.

A data tem raízes na Suécia, quando, em 1991, foi dedicado um dia nacional a contar história. Já em 1997, os contadores de histórias em Perth, na Austrália, coordenaram cinco semanas de comemoração à data. Paralelamente, passou-se a celebrar desde então a data no México e em outros países da América Latina.

O mais interessante de tudo é que o contador de histórias provavelmente é alguém que já passou pela vida da maioria das pessoas. E não poderia ser de outra forma, já que se trata de uma prática tão antiga quanto a humanidade e que tem sobrevivido mesmo frente aos avanços tecnológicos dos dias atuais.

O segredo de uma história bem contada é que ela ativa muitas partes do nosso cérebro. Um estudo publicado na revista NeuroImage, em 2006, mostra bem isso. Os pesquisadores pediram aos participantes para fazer a leitura de palavras com forte associação a cheiros e a outras neutras. Enquanto eles cumpriam essa determinação, seus cérebros eram escaneados.

Pois o que os resultados mostraram foi que, quando foram lidas palavras como “perfume” e “café”, o córtex olfativo primário foi ativado – o que não aconteceu quando as palavras neutras foram lidas. Isso mostra o quanto uma simples leitura é capaz de fazer nossa imaginação voar.

contador de histórias: mãe lê livro para filha pequena

Histórias ajudam no desenvolvimento infantil

Há alguns anos, a Academia Americana de Pediatria emitiu uma declaração dizendo que todos os cuidados primários devem incluir promoção da alfabetização a partir do nascimento. Isso significa aconselhar os pais sobre o quão importante é ler para crianças ainda muito jovens.

Os benefícios dessa prática vêm sendo comprovados por pesquisas. Um estudo divulgado na revista Pediatrics utilizou ressonância magnética para estudar a atividade cerebral em crianças de 3 a 5 anos de idade enquanto elas ouviam histórias adequadas à idade.

As crianças cujos pais relataram praticar mais leitura em casa mostraram significativamente maior ativação de áreas cerebrais. Segundo os pesquisadores, esses diferentes níveis de ativação sugerem que crianças com mais prática em desenvolver imagens visuais serão mais habilidosas no futuro, em termos de criatividade.

Você conhece um contador de histórias? Que tal parabenizá-lo pelo seu dia? Aproveite para compartilhar o artigo nas redes sociais e espalhe a importância dessa profissão! E não se esqueça de conferir outras dicas de bem-estar aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
contação de histórias
cérebro
criatividade
imaginação

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ