Psicologia Infantil

05/01/2016 03:00 - Atualizado em 02/12/2016 07:51

Como lidar com um pai ausente na criação do filho

A ausência da figura paterna pode gerar dificuldades de adaptação às regras sociais e relações afetivas.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A ausência paterna pode ser sentida em vários momentos. E esse sentimento não se restringe apenas às crianças: até mesmo na fase adulta as pessoas podem carregar traumas e sequelas de um pai ausente.

A expressão dessa falta varia de acordo com cada pessoa e ambiente que ela vive. Mas para todos é importante saber lidar com a ausência da figura paterna, para que isso não prejudique, de alguma forma, a qualidade de vida no futuro.

Importância da figura paterna

A presença de uma figura paterna – seja do pai biológico ou de alguém que exerça a função dentro da família – é fundamental durante a infância tanto de meninos quanto de meninas. A convivência com o comportamento masculino contribui para a estruturação do psiquismo dos indivíduos, proporcionando uma identificação alternativa à relação com a mãe.

Saiba Mais
Superproteção prejudica a maturidade das crianças
Guarda de filhos deve considerar o bem-estar das crianças
Mantenha a disciplina das crianças sem ser autoritário

A imagem do pai é uma referência para as crianças e contribui para a introdução dos pequenos no mundo e para a relação com as diferenças, tanto sociais quanto sexuais. No caso de um pai ausente, a criança muitas vezes não receb toda a base necessária para compreender e saber lidar com as situações que irá encontrar na vida adulta.

De acordo com a psicóloga Maria Angélica Fonte, as consequências de se ter um pai ausente, ou até mesmo uma relação difícil entre pai e filho, pode provocar diversas dificuldades de adaptação às regras sociais, relações interpessoais e identificação sexual.

Pai ausente

Como lidar com um pai ausente

Existem diferentes tipos de ausência paterna. Há aquelas em que o filho chega a conviver com o pai, mas ocorre a separação; casos em que a criança nem chega a conhecer o pai, tendo a figura paterna apenas na sua imaginação; ou ainda aqueles que conhecem e convivem com os pais, mas não têm uma boa relação. Principalmente nos casos em que os pequenos crescem sem conhecer ou conviver com os pais, o sentimento de abandono acaba causando um trauma ainda maior.

Cada pessoa lida com a situação de um pai ausente de uma forma muito particular, assim como os motivos da ausência paterna também são diversos, o que contribui para a gravidade do choque que vai causar no filho. 

Principalmente quando os filhos ainda são crianças, a ausência paterna é sentida desde momentos simples, como um almoço em família, até em datas especiais como Dia dos Pais, aniversários e comemorações familiares. Essas situações cotidianas costumam gerar sentimentos de saudade, mágoa, tristeza e até mesmo raiva.

Maria Angélica explica que é preciso ressignificar a figura paterna para conseguir lidar com o pai ausente. “Não é um processo fácil, mas o quanto antes as crianças tiverem a orientação adequada para fazer essa ressignificação, menos dolorosa e mais rápida é a cura dos traumas deixados pelo sentimento de abandono”.

Essa orientação consiste no amor, carinho e atenção dos outros familiares, como mãe e avós, além de um diálogo constante e verdadeiro com a criança sobre a situação. Além disso, em alguns casos, a ajuda profissional também é indicada. Sessões de terapia podem ajudar a criança a entender a realidade e aprender a lidar com os sentimentos represados.

E você, entendeu melhor como lidar com um pai ausente? Então compartilhe e siga curtindo as dicas de bem-estar do Vivo Mais Saudável.

TAGS
psicologia infantil
bem-estar
qualidade de vida
infância

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ