Psicologia Infantil

12/09/2015 07:38 - Atualizado em 10/10/2016 10:19

Como identificar problemas no desenvolvimento da linguagem do filho

Os pais devem ficar atentos a fim de perceber qualquer transtorno precocemente.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Conforme a criança vai crescendo e se desenvolvendo, seu sistema sensorial, incluindo a audição e a visão, se torna mais apurado. Com isso, ocorre também um aumento no nível linguístico e cognitivo, caracterizando o desenvolvimento da linguagem em diferentes etapas da infância.

Duas fases costumam ser definidas para reconhecer esse desenvolvimento. A primeira é a pré-linguística, que ocorre até os 11 ou 12 meses de idade, na qual são vocalizados apenas fonemas, sem palavras. Posteriormente, vem a fase linguística, momento em que a criança começa a falar palavras isoladas com compreensão.

pai observa o desenvolvimento da linguagem do bebe

Como funciona o desenvolvimento da linguagem

No estágio pré-linguístico, o bebê usa o corpo e os sons para se comunicar, sem palavras ou gramática. A principal forma de expressão é o choro, podendo ser rico em expressão emocional. Ao longo dessa fase, ele começa a emitir e repetir sons, passando a entender o que algumas palavras significam a partir da entonação.

Por volta dos 10 meses, a criança imita deliberadamente os sons que ouve. Por isso, as que possuem algum problema de audição não evoluem para além do balbucio, já que não são capazes de escutar. Nessa etapa, é possível perceber a importância da estimulação externa para o desenvolvimento da linguagem.

Quando chega ao final do primeiro ano, o bebê já possui uma noção de comunicação, como um conjunto de sinais para se comunicar com aqueles que o cercam. Com isso, chega ao estágio linguístico e, contando com a maturação do aparelho fonador e da sua aprendizagem anterior, ela começa a dizer suas primeiras palavras.

Saiba Mais
Escutar música na gravidez traz benefícios para o bebê
Seu filho não fala corretamente? Saiba quando isso é um problema
Implante coclear dá o sentido da audição a crianças surdas

Depois disso, entre os 2 e 3 anos, as palavras começam a ter menos trocas de letras e as frases mais longas são formadas. Até os 4 anos, as frases passam a ter praticamente todos os elementos estruturais, com pequenos erros na conjugação verbal. Antes de chegar ao quinto ano, os fonemas são aprendidos por completo, finalizando o processo de desenvolvimento da linguagem.

Os pais precisam ficar atentos e acompanhar o desenvolvimento linguístico, a fim de identificar qualquer problema precocemente. Quando as habilidades pré-verbais e verbais iniciais não se desenvolvem adequadamente, é sinal de que algo não vai bem. O atraso de linguagem pode até mesmo indicar uma alteração no neurodesenvolvimento.

bebes com tablet para desenvolvimento da linguagem

Principais problemas de linguagem

Quando ocorre a ausência ou o retardo do surgimento da linguagem oral, de acordo com a idade que isso deve acontecer, pode ser o caso de um atraso de linguagem. As causas mais frequentes desse problema são estimulação ambiental deficiente, bilinguismo, fatores hereditários, problemas orgânicos e distúrbios emocionais.

A criança com atraso de linguagem apresenta algumas dificuldades:

- Vocabulário deficiente para a idade

- Dificuldade para estruturar sentenças

- Dificuldade para organizar o pensamento

- Dificuldade de compreensão

- Dificuldade para relatar acontecimentos

- Narrativa confusa apoiada em gestos e fala ininteligível, geralmente acompanhada de alteração na articulação.

É preciso levar em consideração também a variação individual de cada criança, pois nem todas apresentam a mesma capacidade de aprendizagem e não respondem da mesma forma.

Ao identificar qualquer sinal incomum, é indicado procurar ajuda fonoaudiológica para um diagnóstico adequado e possíveis encaminhamentos para otorrinolaringologista, neurologista, psicólogo ou outros profissionais necessários.

Em todas as etapas do desenvolvimento da linguagem, o estímulo é fundamental, senso adaptado a cada fase da criança. Atitudes simples, como narrar o que está fazendo ou o que irá fazer, ler histórias, ouvir e cantar músicas e brincar, contribuem para criar referências para a criança, transformando a aprendizagem em algo fácil e prazeroso.

O que você achou do artigo? Conte para nós! E aproveite para continuar de olho nas dicas de orientação infantil do Vivo Mais Saudável.

TAGS
aprendizagem
fala
comunicação
leitura

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ