Psicologia Infantil

31/08/2015 11:09 - Atualizado em 29/11/2016 12:40

Como falar sobre drogas ilícitas com seu filho

Pais e filhos devem ter total liberdade para abordar o assunto.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Muitos pais enfrentam dúvidas sobre quando é o melhor momento de conversar com seus filhos sobre drogas ilícitas. O perigo é uma realidade no Brasil e em muitas outras partes do mundo. A comunicação aberta e clara em casa é uma das formas mais eficazes de proteger os jovens do problema.

Influência de amigos, curiosidade ou até mesmo insegurança são alguns dos incentivadores da procura pelas drogas. Por isso, é importante que os filhos se sintam confortáveis e seguros para discutir o assunto em casa, onde deverão receber orientação sobre as consequências e os perigos do consumo dessas substâncias.

pai conversa sobre drogas ilicitas com filho pequeno no tapete do quarto

A importância do diálogo sobre drogas ilícitas

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados em 2013, 9,9% dos adolescentes que vivem nas capitais já experimentaram drogas ilícitas. Em 2009, a primeira pesquisa desse tipo revelou um percentual de 8,7%. Ou seja, constata-se o crescimento no consumo dessas substâncias entre os jovens.

Para a psicóloga infantil Priscila Badotti, o momento da abordagem sobre o assunto deve ocorrer de forma natural, conforme o interesse ou a curiosidade da criança. “Por exemplo, após assistirem a algo sobre o assunto na TV, ou mesmo se surgir naturalmente a história de algum parente ou amigo”, aconselha.

A profissional orienta, ainda, que o nível da conversa deve ser de acordo com a faixa etária e considerar o que a criança ou adolescente já sabe sobre o assunto. A compreensão sobre a gravidade do tema dependerá do contexto social e familiar que a criança está inserida.

A especialista explica que desde os primeiros anos é possível falar sobre os efeitos e consequências das drogas lícitas (álcool e cigarro) que o pequeno, provavelmente, vê os adultos consumindo. “Assim, será mais fácil falar sobre as drogas ilícitas mais tarde”, comenta Priscila.

O ideal é que a criança ou o adolescente perceba que sempre tem abertura para o diálogo em casa. É muito importante falar sobre drogas com o filho, pois, assim, ele saberá desde cedo qual a postura da família em relação a isso, bem como os efeitos das substâncias no organismo.

Dessa forma, quando chegar à adolescência - normalmente uma fase mais rebelde e influenciável -, ele já estará informado o suficiente a ponto de recusar, caso alguém ofereça.

drogas ilicitas infografico

Como perceber sinais de que algo está errado

Priscila explica que os pais devem estar atentos aos filhos, especialmente durante a adolescência. “É importante conhecer os amigos e os familiares dos amigos, aonde vão, como vão, como voltam e com quem”, orienta.

Saiba Mais
Uso de drogas toma tempo precioso dos jovens
Conheça os efeitos dos diferentes tipos de drogas
Fumar aumenta os riscos de enfisema pulmonar: Previna-se

No entanto, ela dá um alerta:  alguns jovens podem usar drogas em lugares onde os pais menos imaginam, como na escola ou na própria casa. Por isso, essa atenção é tão fundamental para identificar um possível problema.

Uma vez que surja a desconfiança, é preciso muito tato dos pais ou responsáveis na abordagem do assunto. A busca por ajuda especializada é sempre válida, como conversar com psicólogos para que ocorra uma orientação eficaz sobre como lidar com o problema.

Conversar com seu filho e estar atento são atitudes responsáveis e que refletem diretamente no relacionamento familiar. O jovem precisa saber os limites impostos, mas também ter consciência de que a família está ao seu lado para ajudá-lo em situações de perigo.

Você já precisou conversar sobre drogas com seu filho? Como foi a experiência? Deixe seu comentário e ajude outros leitores do Vivo Mais Saudável!

TAGS
abuso de drogas
pais e filhos
diálogo
educação infantil

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ