Psicologia Infantil

22/05/2015 05:01 - Atualizado em 06/12/2016 12:48

Chega de rebeldia: Aprenda 5 dicas para lidar com as crianças

Teimosia e falta de obediência são comuns na infância, mas não devem sair do controle.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Desobediência, teimosia, birra e crises de choro são problemas frequentes em várias fases da infância, mas tendem a desaparecer com a idade. As crianças passam por momentos de dúvidas e descobertas naturais do seu desenvolvimento, causando assim rebeldia e alterações no comportamento.

Porém, mesmo que seja uma situação comum, alguns casos acabam excedendo os limites, devido à frequência e à agressividade das atitudes. Desatenção e falta de interesse ou de educação podem ser resultados não apenas da rebeldia comum à idade, mas de algum transtorno psiquiátrico ou distúrbio emocional.

rebeldia

Causas da rebeldia em cada fase da infância

A desobediência das crianças é considerada uma forma de colocar à prova a autoridade dos pais, tentando impor independência e as vontades próprias. Na maioria das vezes, no segundo ano de vida, ocorre uma mudança no estado emocional dos pequenos, em que entram no período sensitivo da obediência.

Esse é o momento certo para ensinar o filho a obedecer, sem achar que é apenas um fase e vai passar. Até os três anos, a criança não sabe lidar com grande parte dos sentimentos, principalmente com a frustração. Por isso, age com teimosia, choro, berros e até atirando-se no chão para aliviar o sentimento ruim ao ser contrariada.

Crianças e adolescentes com idade entre 7 e 14 anos costumam apresentar uma segunda fase de rebeldia. Isso ocorre tanto nos meninos quanto nas meninas, pois nessa idade nasce o espírito crítico dos jovens e a vontade de mostrar que são independentes, contrariando regras e normas dos adultos - sejam pais, familiares ou professores.

Os pais precisam manter o pulso firme e acompanhar de perto as atitudes dos filhos, nessa etapa. Quando a desobediência ultrapassa os limites e sai do controle, pode ser sinal de um distúrbio emocional ou transtorno psicológico. Os mais comuns são transtornos de conduta, ansiedade, fobias, déficit de atenção ou hiperatividade e depressão.

Um estudo feito em escolas públicas e privadas de Taubaté, em São Paulo, foi publicado no Journal of the American Academy of Child and Adolescent, mostrando que um em cada oito estudantes de 7 a 14 anos apresenta ao menos um distúrbio emocional. A pesquisa mostra que 12,7% de crianças e adolescentes possuem algum problema psiquiátrico.

Dicas para acabar com a rebeldia

1. Os pais devem ser firmes, sem ceder ou bater nas crianças. Elas precisam entender e aprender a lidar com os seus sentimentos, principalmente com a frustração.

2. A rebeldia também pode ser uma reação a um momento que o jovem está vivendo. É preciso analisar a fase da criança, as circunstâncias e o que está acontecendo na família naquele momento que possa estar afetando o comportamento.

3. Os pais devem levar as situações a sério, sempre conversando e explicando para a criança o que ela está fazendo errado e como deve se comportar.

4. O fator principal é a paciência. É preciso ter calma para educar, argumentar e compreender os sentimentos da criança.

5. Quando o esforço dos pais não funciona e a rebeldia das crianças influencia negativamente os seus estudos e suas relações, é hora de buscar a ajuda de um profissional especializado. Em alguns casos, as crianças que não são tratadas podem se tornar adultos vulneráveis e com dificuldades emocionais.

Gostou das dicas para cuidar dos seus filhos? Deixe um comentário! E não esqueça que você sempre encontra novidades aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
comportamento
agressividade
ansiedade
TDAH

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ