Psicologia Infantil

24/07/2014 09:00 - Atualizado em 09/12/2016 10:21

Aprenda como lidar com criança que mente e ensinar a falar a verdade

É preciso saber diferenciar um pequeno que inventa histórias para se divertir de uma criança que mente.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A criança é um ser muito peculiar. Em determinadas idades tudo que ela fala parece poético e a fantasia na qual ela se transborda é encantadora para quem lhe dá ouvidos. Mas é preciso diferenciar bem um pequeno que inventa histórias inocentes para se divertir de uma criança que mente. O comportamento e as consequências nesses dois casos não são comparáveis.

Lidar com uma criança que mente é possível e necessário

Analisando o caso sem hipocrisia, admitimos que mentir é um ato normal do comportamento humano. Mas na maioria dos casos são mentiras que visam não ofender ou entristecer uma pessoa. Por exemplo, quando somos perguntados se achamos bonito o presente que ganhamos, ou aquele clássico questionamento “você acha que estou gorda?”.

criança-que-mente

As crianças costumam mentir desde muito cedo, a partir dos dois anos de idade. Fique atento ao comportamento da criança que mente e tenha a sensibilidade para julgar quão nociva pode ser a sua mentira. A mentira pode ser como nos exemplos supracitados ou então se omitir alguma informação que os pais deveriam saber. Há até mesmo casos de mentiras que são contadas objetivando uma reação específica dos pais, que vai trazer um benefício para a criança.

Veja cinco dicas para aprender como lidar com uma criança que mente regularmente:

Diferencie

Antes de querer confrontar uma criança que mente, você precisa saber se ela está apenas contando uma fantasia inocente – muito comum entre os 3 e 4 anos de idade – ou se é realmente uma mentira. Basicamente, a fantasia não tem nenhum objetivo que não o entretenimento, enquanto a mentira é contada geralmente para escapar de uma lição ou evitar lidar com um problema.

Eduque

Não trate a criança como um adulto. Ao invés de brigar, ensine-a os motivos de precisar falar a verdade e quais consequências uma mentira pode ter – isso é algo que certamente ela nunca se deu conta. Não a chame de mentirosa, mas pergunte sempre com muita calma se o que ela disse é verdade ou mentira.

Não seja severo

Se você descobriu uma mentira que seu filho pequeno contou, não seja agressivo. Pergunte calmamente por que ele mentiu. Muita pressão e interrogatórios severos só vão piorar a condição, pois a criança pode começar a inventar ainda mais mentiras para escapar da punição relacionada à primeira, criando um efeito dominó. Se você for um pai compreensivo, o pequeno não vai sentir necessidade de mentir, pois saberá que, se falar a verdade, não será castigado.

Uma criança que mente pode ter algum complexo ou está apenas seguindo exemplos?

Redobre a sua atenção caso você note um certo padrão nas mentiras. Ou seja, se elas estão sempre relacionadas a um assunto específico. Isso pode significar que a criança tem algum complexo, angústia ou medo em determinada situação, tentando evitar falar sobre isso. Se for muito difícil fazer com que o seu filho compartilhe essa angústia com você, dialogue com professores e educadores da escola ou creche dele com frequência – pois a origem desse problema pode ser naquele ambiente.

Exemplo

Como já falamos antes, mentir é comum até mesmo em adultos, quando não queremos que uma pessoa fique magoada. Mas existem outros tipos de mentiras que podem parecer corriqueiras e inofensivas para nós, mas que as crianças não deveriam notar. Por exemplo, é uma péssima ideia pedir para o seu filho mentir para alguém que ligou procurando por você, mandando-a dizer que não está em casa, por exemplo.

Receba dicas de Cris Polis sobre comportamento infantil para ajudar seu dia a dia

Você tem este tipo de problema com o seu filho? Quais as mentiras que ele geralmente faz? Como você tem lidado com isso? Deixe o seu comentário.

TAGS
inventar histórias
educar os filhos

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ