Psicologia Infantil

10/04/2015 11:21 - Atualizado em 02/12/2016 10:28

Ansiedade infantil prejudica o rendimento escolar

Orientação profissional e acompanhamento dos pais são fundamentais para controlar as crises de ansiedade.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Sentir medo e nervosismo durante a infância, principalmente na escola, é normal. Conhecer um ambiente novo, ficar longe dos pais e relacionar-se com os coleguinhas são situações diferentes e que despertam sentimentos novos. Cada criança lida com isso de uma forma, mas, quando existe muita dificuldade em controlar os sentimentos, pode ser um caso de ansiedade infantil.

Os pais e professores precisam acompanhar o desenvolvimento das crianças e perceber quando a ansiedade prejudica suas relações e até mesmo o rendimento escolar. Existem tratamentos e algumas mudanças de hábitos que ajudam a controlar o problema, evitando que ele atrapalhe a qualidade de vida das crianças.

ansiedade infantil

Como identificar a ansiedade infantil

A ansiedade é natural e ocorre em todas as fases da vida de uma pessoa. Durante a infância, esse sentimento está diretamente ligado ao desempenho escolar e ao relacionamento com os colegas. As crises também podem ocorrer quando a criança passa por mudanças significativas, como troca de escola, chegada de novos irmãos ou separação dos pais.

Entre as causas da ansiedade infantil estão problemas psicológicos, alterações nos transmissores químicos cerebrais, doenças na tireoide e fatores genéticos. Os sintomas são uma combinação entre sensações mentais e físicas, como medo, apreensão, angústia, irritação e preocupação, geralmente acompanhadas de palpitações, dor no peito, náuseas e falta de ar.

A ansiedade infantil é considerada normal ou um transtorno de acordo com a intensidade e frequência com que ocorre, além da influência que tem sob o comportamento.

Não é difícil perceber quando uma criança apresenta frequentemente dores de cabeça, náuseas, falta de ar, dificuldade de concentração, agressividade ou medos em excesso. Se isso ocorre e ainda está ligado a situações específicas, pode ser sinal de algum distúrbio de ansiedade.

O problema pode trazer consequências para a saúde física e mental da criança, prejudicando as relações na sua vida pessoal e escolar. Esse tipo de distúrbio afeta 13 em cada 100 crianças e adolescentes entre nove e 17 anos de idade. As meninas são as mais atingidas.

Em cerca de metade dos casos, as crianças também apresentam quadros de depressão.

Ansiedade infantil tem tratamento

Os tratamentos para a ansiedade infantil envolvem terapias e algumas mudanças nos hábitos cotidianos dos jovens. Uma das melhores maneiras de controlar os sintomas é com acompanhamento psicológico. Além disso, também é comum a indicação do uso de fitoterápicos. Os medicamentos controlados são considerados a última opção.

O papel dos pais e responsáveis também é fundamental para o sucesso do tratamento. Quando uma criança é excessivamente ansiosa, ela precisa de muito apoio e expectativas positivas. É preciso garantir um ambiente calmo e saudável em casa, além de ajuda para enfrentar e superar os medos.

Outra forma de controlar a ansiedade infantil é criar uma rotina disciplina e diversificada para a criança. Praticar atividades físicas, manter uma alimentação saudável e na hora certa, ter uma noite de sono tranquila e com o tempo adequado são medidas importantes.

Com isso, a criança tem mais segurança e confiança para desempenhar as atividades, tanto em casa quanto na escola.

Gostou das dicas de bem-estar? Então deixe um comentário! E não esqueça que você sempre encontra novidades aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
nervosismo
ansiedade
distúrbio
medos de infância

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ