Motivação

02/11/2015 06:00 - Atualizado em 02/07/2016 08:36

Salada é superação sim! Veja como o prato se tornou o sucesso na vida de Gizely Dall´Agnol

A blogueira Gizely Dall´Agnol resolveu dar um basta no efeito sanfona comendo muita salada. E não é que a diversão também virou profissão?

POR

Redação

  • +A
  • -A

Comer salada todo mundo sabe que é bom, mas quando você não simpatiza com ela, como fazer? Para a relações públicas Gizely Dall´Agnol, a amizade com a salada demorou bastante tempo para acontecer. Na infância, a gaúcha preferia biscoitos, bolos, frituras, carnes suculentas, produtos industrializados, tudo o que uma criança nunca recusa, e na hora da refeição com a família ela se afastava da alface, do tomate, da cebola, etc. “Eu não tinha coragem de experimentar nada, estava sempre lutando contra a balança. Na época da escola eu sofria bullying por ser gordinha, os colegas faziam piadinhas totalmente sem graça”, lembra ela.

Para dar um basta ao efeito sanfona, Gizely resolveu mudar sua alimentação da água para o vinho. Ela passou por vários nutricionistas sem conseguir fazer uma verdadeira reeducação alimentar e tomou muitos remédios para emagrecer. Foi somente por volta dos 14 anos que ela foi levada pela sua mãe ao nutricionista. "Lembro que na época eu estava viciada no brigadeiro de panela. Fazia e comia de colher, uma panela inteira." Na época, a jovem até conseguiu mudar um pouco a alimentação com um prato que inventou: um refogado com palmito, tomate, milho e ervilha, feito sem nenhum tempero. Aquele refogado era a única coisa que ela comia, mais aproximada de uma salada. Mais tarde, por volta dos 17 anos, depois de tomar muitos remédios para emagrecer e de fazer uma dieta restritiva que a fez emagrecer 20 kg e ficar magra como ela desejava, ela foi morar em outra cidade para estudar. 

Fase chocólatra

Provavelmente pelos fatores da mudança e psicológico que atingem as pessoas que emagrecem e "acham" que são magras, Gizely passou a sofrer com outro problema: o consumo excessivo de chocolate. "Escondi papeis de barras de chocolate dentro dos livros da faculdade. E, sem notar que estava doente, fui engordando novamente os 20 kg que havia perdido."

Novamente, enfrentou a balança e tomou remédios para emagrecer até se convencer de que apenas uma solução seria possível: a reedução alimentar. "Para quem tem tendência a engordar, não adianta fazer um plano verão, é o plano para a vida toda", conta ela. Desde então, ela descobriu que criar as suas próprias combinações, provando sempre um legumes ou uma folha nova, junto com ingredientes que ela já comia, poderia ser um caminho para começar a gostar de saladas. E não parou mais! O que era desafio virou hábito e ela descobriu em saladas criativas a saída para refeições mais saudáveis! Gizely passou a fazer dessas saladas as suas refeições, já montadas no prato - dica que ela dá sempre aos participantes dos seus cursos. Essa foi uma saída também para ela comer menos, limitando-se a comer apenas a porção preparada no prato.

Saiba Mais
Iracema: a perda da filha de 6 anos e a criação do Instituto Gabi
Ilza Nogueira: da depressão profunda à realização de um projeto audacioso
Conheça Léo Denir, 69 anos, ciclista após infarto e duas cirurgias no coração

Salada na profissão

E não é que o mais temido prato se tornou a profissão de Gizely? A jovem se formou em Relações Públicas e logo se especializou em produzir diversos tipos de salada. “Era um tipo de molho aqui, outro ali, tentei deixar os pratos com graça. Comecei a colocar frango e experimentar agrião e berinjela que eu achava horríveis.”

A paixão pelos pratos levou Gizely a investir no Saladas da Gy, um blog pessoal onde ela disponibiliza receitas interessantes e criativas. Há dois anos, o portal virou um grande sucesso. “As pessoas pediam receitas das saladas que eu postava, foi a chave de um contato maior com o público e com a salada. Hoje realizo cursos, palestras, participo de eventos. Enfim, amo o que faço.” Quem diria, né?

Com o bom trabalho desenvolvido através do que ela mais temia, Gizely é referêncuia em sua profissional e há algum tempo é colaboradora do Vivo Mais Saudável. Para despertar o consumo pelo prato, ela aconselha: “O passo mais difícil é experimentar coisas novas, você precisa ter coragem já que existe o preconceito com alimentos.”

Gostou da história de superação da Gizely? Deixe seu comentário.

Mande também sua história para gente. Ela pode ser a próxima no Vivo Mais Saudável. 

TAGS
salada
receita de salada
verduras
legume

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ

Veja Também