Motivação

06/04/2016 12:00 - Atualizado em 05/12/2016 02:22

Explore os limites do seu corpo com a dança teatral

A técnica que une teatro e dança é uma ótima forma de expressão.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Um grupo de homens correndo em círculos brincando com enormes blocos. Uma mulher nua andando através de um campo de cravos tocando acordeão. O corpo elástico de um homem torna-se corda em um cabo de guerra humano. Tais visões surpreendentes são a marca registrada da dança teatral, uma arte também conhecida como “Tanztheater”.

Origens da dança teatral

Essa expressão cultural surgiu na Alemanha, no início do século 20, quando a diretora de dança de teatro Pina Bausch desenvolveu uma mistura dessas duas artes, algo até então inédito.

O termo já havia sido utilizado por membros do movimento de dança expressiva alemã, nas décadas de 1910 e 1920. Eles desejavam distanciar-se das tradições do balé clássico. A expressão “Tanztheater” refere-se a uma forma que combina dança, fala, canto, teatro convencional e uso de adereços e figurinos.

bailarina de dança teatral

A prática é realizada por dançarinos treinados e a inexistência de limites artísticos é uma das características mais marcantes. Geralmente, não há trama narrativa, mas, sim, situações, medos e conflitos humanos retratados. O público é estimulado a seguir certa linha de pensamento ou refletir sobre o que se expressa no espetáculo. 

Com o passar dos anos, as interpretações extremas e apaixonadas da companhia de Pina Bausch evoluíram para uma forma altamente emotiva de arte. Mesmo atualmente, uma nova geração de coreógrafos ao redor do mundo segue desenvolvendo ainda mais variações de dança teatral. Continua-se, assim, a derrubar as fronteiras entre teatro e balé, mantendo a vitalidade cultural desse movimento.

Uma ótima forma de expressão

Para amantes dessas duas artes, a prática da dança teatral pode ser uma das melhores opções. Há várias companhias dedicadas a ela.

Muitas pessoas sabem dos benefícios físicos da dança, mas poucas conhecem os reflexos psicológicos que ela é capaz de proporcionar. Segundo um recente artigo publicado no Psychology Today, a prática pode melhorar a função cerebral de várias maneiras. Quando regular e constante, ela “treina” o cérebro contra tonturas. Quando eventual e mais lenta, tem potencial para melhorar a aprendizagem cognitiva.

Um estudo feito em 2005 por pesquisadores da Universidade McGill, no Canadá, comparou ainda um grupo que teve aulas de tango com outro que simplesmente caminhava como exercício físico. Constatou-se que ambos pontuaram bem em testes cognitivos, mas quem dançou teve melhor desempenho multitarefa.

O teatro também é capaz de trazer benefícios para o dia a dia. Esse tipo de arte pode aumentar níveis de confiança e autoestima, bem como dar mais autodisciplina aos alunos. Há ainda potencial para melhorar habilidades comunicacionais, como articulação e expressão de sentimentos e opiniões.

Quem se vale do teatro também exerce a criatividade, a imaginação e a memorização. É que essas são exigências para quem representa um personagem, devendo reagir e interagir com os demais para solucionar os conflitos da trama.

Ou seja, unindo esses dois tipos de arte, você será capaz de obter o melhor dos dois mundos e ter resultados positivos sobre o seu bem-estar geral.

Gostou do artigo? Então aproveite para compartilhar as informações com seus amigos! Quem sabe vocês não montam um grupo de dança teatral no futuro? Aproveite também para conferir outras dicas de saúde e bem-estar aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
pina bausch
Tanztheater
expressão corporal
autoestima

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ