Motivação

21/02/2015 11:32 - Atualizado em 29/11/2016 08:53

Entenda quando a busca por objetivos pode virar paranoia

A luta pelos sonhos tem limite. Viver apenas em função dos objetivos pode virar paranoia.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Traçar planos e metas significa, também, ter determinação para alcançá-los. Mas você sabe quando essa motivação sai dos limites da normalidade e se transforma em uma paranoia? Entenda a diferença e administre sua vida emocional.

paranoia

De acordo com a medicina, paranoia é um desconfiança constante e pode ser sintoma para diversos transtornos de personalidade. Porém, no dia a dia, convencionou-se chamar de “paranoia” o sentimento de obsessão que uma pessoa nutre por algo ou alguém.

Diferença entre motivação e paranoia

Sentir-se motivado é o ponto de partida para ir em busca dos objetivos. É por meio da motivação que sacrifícios necessários são feitos sem se tornarem uma tortura na vida. Se o sonho for conhecer a Europa, por exemplo, os cortes no orçamento serão feitos com prazer, pois existe uma recompensa mais adiante.

A paranoia começa quando a motivação passa a comandar uma pessoa de maneira a torná-la escrava de seu sonho. A viagem à Europa, diante da mínima possibilidade de não ser realizada, pode fazer com que o indivíduo trace planos absurdos, quase impossíveis de serem cumpridos.

Pessoas paranoicas se privam dos suprimentos básicos e vivem apenas em função de seus objetivos. Assim, preocupam amigos e familiares, uma vez que eles não sabem como ajudar. Esse sentimento pode ser tão prejudicial quanto a falta de motivação, pois ambos podem levar à depressão e a outros transtornos psicológicos.

Você está em paranoia?

Se você não consegue saber se o que lhe impulsiona é a motivação ou a paranoia, fique atento a alguns sinais. Livre-se deles para que seus planos possam ser realizados de maneira saudável e prazerosa.

Tempo exagerado

Deixar os sonhos de lado não é, nem de longe, a melhor maneira de realizá-los. Porém, perceba o quanto do seu dia é dedicado aos objetivos. Se você perde muito tempo arquitentando e conversando com amigos sobre o assunto, fique atento. Tenha disciplina na busca de seus objetivos, porém não confunda resiliência com obsessão.

Sem plano B

Muitas vezes, as metas que traçamos não são realizadas no tempo ou da maneira que pretendíamos. Os motivos podem ser vários, mas, independentemente deles, é preciso saber o que fazer caso o objetivo não aconteça como planejado. Ter um plano B evita a paranoia e também as frustrações.

Segurança comprometida

Correr atrás de um sonho não tem preço, certo? Errado. Se essa meta compromete a sua segurança financeira e até a de sua família de maneira significativa, reveja o plano. Se você deixa de realizar exames importantes, alimenta-se mal ou dorme pouco em função das metas, é um sinal de que algo está errado.

Nesses casos, procurar ajuda profissional é sempre o mais indicado. Um psicólogo garante a qualidade de sua saúde mental, emocional e até física. Ele também pode lhe auxiliar a traçar planos concretos, que possam ser alcançados de maneira tranquila.

Gostou das dicas? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar por dentro de todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
terapia
conhecimento
persistência
metas

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ