Motivação

20/11/2015 06:12 - Atualizado em 01/12/2016 09:37

Dia Nacional da Consciência Negra: Essa luta é de todos

A data serve para conscientizar a população a combater o racismo e o preconceito.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Em 20 de novembro é comemorado o Dia Nacional da Consciência Negra, que tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância do respeito mútuo às diferenças. A data também faz alusão à riqueza da cultura negra no Brasil e inspira ações para combater o racismo e o preconceito.

Infelizmente, ainda nos dias de hoje, atitudes preconceituosas e racistas acontecem de forma frequente. Muitas vezes, extremista. Ofender a dignidade de uma pessoa devido a sua raça, cor, etnia, religião, origem ou condição é crime, e a pena pode chegar a três anos de prisão.

criança sorridente no dia nacional da consciência negra

20/11: Dia Nacional da Consciência Negra

O Dia Nacional da Consciência Negra está incluído no calendário nacional desde 2003. Mais de mil cidades brasileiras comemoram o dia que se refere à morte de Zumbi dos Palmares, o último líder da resistência negra à escravidão na época do Brasil Colonial. Decapitado em 20 de novembro de 1695, o líder quilombola tornou-se símbolo do combate ao preconceito e ao racismo no país.

Com o objetivo de homenagear os que lutam pela igualdade racial e combater situações de discriminação, o Movimento Negro saiu às ruas pela primeira vez em 20 de novembro de 1971. O grupo desenvolveu ações para resgatar a história e a contribuição dos negros para a formação da identidade nacional.

Sete anos depois, em 1978, um grupo de ativistas do Movimento Negro Unificado cunhou a data de 20 de novembro como o Dia Nacional da Consciência Negra, comemorado desde então. A ocasião serve para lembrar a luta dos afrodescendentes nos últimos séculos e ressaltar as dificuldades que eles ainda passam até hoje.

Com diversas ações, como eventos, palestras e atividades culturais, o Dia Nacional da Consciência Negra busca informar e conscientizar desde crianças até idosos sobre a importância da história e da cultura negras. Esse é o momento para toda a sociedade repensar suas atitudes e aceitar 50,7% da população brasileira, que é constituída por pretos e pardos, segundo o Censo de 2010 do IBGE.

dia nacional da consciência negra taís araújo

Importância da conscientização

Nos últimos meses, vários casos de preconceito contra famosos tiveram grande repercussão na mídia e serviram para ajudar nessa conscientização, bem como na punição dos autores das agressões. Um dos episódios mais recentes é o da atriz Taís Araújo, que foi vítima de ataques racistas na internet.

Depois de publicar uma foto em seu perfil nas redes sociais, no início de outubro, Taís recebeu comentários ofensivos em relação à sua cor. Após o ocorrido, outros usuários adotaram a hashtag #SomosTodosTaisAraujo em apoio à artista.

O caso levou a Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos a abrir uma investigação para apurar o crime de injúria racial.

Saiba Mais
Feminicídio: Violência doméstica ainda precisa ser combatida
Violência contra o idoso: Ajude a combater esse mal
Mulheres no mercado de trabalho ainda enfrentam obstáculos

Uma situação parecida aconteceu com a jornalista Maria Júlia Coutinho, da Rede Globo, em julho. Responsável pela previsão do tempo do Jornal Nacional e do Jornal Hoje, Maju também foi alvo de ataques racistas nas redes sociais. Os comentários foram publicados na página oficial do JN, repercutindo em todo o Brasil e também dando origem à hashtag #SomosTodosMaju.

Um inquérito para investigar o crime de injúria racial, por meio de prática de discriminação ou preconceito de raça, foi instaurado pela Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância em São Paulo. Porém, o caso ainda segue em investigação.

dia nacional da consciência negra maju

Injúria racial X racismo

Vale lembrar que o crime de injúria racial é diferente do crime de racismo. O primeiro está previsto no artigo 140 do Código Penal e consiste em ofender a dignidade ou o decoro de alguém, utilizando elementos referentes a raça, cor, etnia, religião, origem ou condição de pessoa idosa ou com deficiência. A pena pode chegar a três anos de reclusão.

Por outro lado, se o promotor entender que houve racismo, o acusado pode responder pelos crimes previstos na Lei 7.716, de 1989. É o que acontece quando o ato é direcionado a uma coletividade - ou seja, quando se impede o acesso de uma pessoa a um estabelecimento por causa da cor da pele, por exemplo.

Há várias penas possíveis para racismo, entre elas prisão e multa. Nesses casos, o acusado não tem direito a fiança.

Para você, qual a importância do Dia Nacional da Consciência Negra? Deixe um comentário! E continue ligado no Vivo Mais Saudável para conferir dicas de bem-estar e qualidade de vida.

TAGS
preconceito
discriminação
racismo
injúria racial

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ