Motivação

10/08/2015 06:00 - Atualizado em 28/11/2016 09:33

Conheça Luiza, portadora de doença nos ossos espera por transplante de medula

Para divulgar a doação do transplante de medula, a família criou a página Ajude a Luiza, no Facebook.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Luiza Paiva tem dois anos e uma grande história de luta para contar. Diagnosticada com osteopetrose, rara doença nos ossos, a família está na expectativa para salvar a vida da menina. A chance está cada vez mais próxima de se concretizar. Leia a história emocionante e reflita!

Como está seu condicionamento físico? Faça o teste.

A sapeca Luiza Paiva brinca, pula, se diverte com os pais e amigos, e está prestes a ter uma vida duradoura nos próximos dias. A carioquinha de apenas dois anos é portadora de osteopetrose, doença rara no qual os ossos se tornam mais densos, e deve passar pelo transplante de medula óssea nos próximos dias. Felicidade para a família que, após a batalha, anseia pelo procedimento.

Após o nascimento, foi detectado que a menina tinha paralisia facial, um ano depois, a pediatra constatou a gravidade da situação. Temerosos com a doença, os pais Clarissa Paiva e Davidson César começaram à busca de novas informações.“Eu estava desesperada com a situação, pois não queria perder a minha filha. A nossa esperança começou quando o hematologista falou da chance de achar um cordão umbilical compatível nos EUA para o transplante de medula, já que o meu não era. Dias depois chegou a confirmação do órgão e claro, pulamos de alegria”, lembra Clarissa.

Diante de pouco índice de doares de medula no Brasil, Clarissa não cruzou os braços e criou no Facebook a campanha “Ajude a Luiza”, com o intuito de que mais pessoas conheçam e realizem a doação. “É importante conscientizar as pessoas a se cadastrar na Redome (Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea). Hoje 27 milhões de pessoas são cadastradas no banco, mas comparada à população mundial ainda é pouco”, enfatiza Clarissa, responsável pela página virtual com mais de 3 mil seguidores.

Com a chegada do cordão umbilical ao Brasil no início do mês, a família de Duque de Caxias (RJ) mudou-se para capital paulista e aguarda a liberação do hospital Sírio Libanês para o procedimento, previsto para acontecer nos próximos dias. Para a mãe, cada minuto é precioso. “Estava previsto para ser no dia 3, mas ainda passamos por trâmites com o plano de saúde para aprovação. É muita felicidade saber da possibilidade de termos a nossa filha saudável conosco."

Você gostou da história da Luiza? Deixe seu comentário e se você tiver uma também, conte sua História de Superação. Ela pode ser a próxima!

TAGS
fragilidade dos ossos
osteopetrose
ajude a luiza
transplante de medula

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ