Amor e Sexo

15/09/2014 05:55 - Atualizado em 01/12/2016 10:32

Risco de infecção urinária pode diminuir ao fazer xixi após sexo

Veja como medidas simples podem prevenir você do risco de infecção urinária.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Não é mito: fazer xixi após sexo reduz os riscos de infecção urinária. É que ao urinar logo depois de uma relação sexual, interrompe-se o percurso de bactérias oportunistas para as vias urinárias caso elas tenham entrado no organismo durante o ato.

risco-de-infeccao-urinaria

Ainda que a transmissão de germes que acometem o aparelho urinário seja menos frequente durante a transa, fazer xixi após o sexo é uma forma de lavar a uretra (canal por onde passa a urina) e, portanto, de expulsar microorganismos recém-chegados.

Qual o maior risco de infecção urinária?

É estimado que de 25% a 30% das mulheres adultas já sofreram ou irão sofrer pelo menos um episódio de infecção ao longo da vida. São elas, aliás, as que têm vida sexual ativa, as mais suscetíveis ao risco de infecção urinária como cistites (presença de colônia bacteriana na bexiga), por exemplo.

As infecções do trato urinário costumam ser caracterizadas, principalmente, por ardência e dor na região genital bem como urgência miccional (necessidade descontrolada de urinar em curto espaço de tempo) e sensação de esvaziamento incompleto da bexiga.

Os desconfortos só são aliviados muitas vezes após tratamento com antibióticos. Para as mulheres em que o risco de infecção urinária é grande, o conselho de fazer xixi após sexo é ainda mais recomendado, seguido da necessidade de higienização vaginal para que a possibilidade de contaminação seja realmente minimizada.

Outras medidas de prevenção às infecções são: asseio da vulva e do ânus após a evacuação, isto é, lavar a região com água e sabonete ou complementar a limpeza com lenços umedecidos; urinar a cada duas horas pelo menos; banhar-se após a relação sexual; e majorar a ingestão de líquidos, etc.

Sempre que necessária a aplicação de um lubrificante sexual, dar preferência a produtos à base d’água. Naturalmente, o uso de preservativos, além de auxiliar na prevenção de doenças mais graves como Aids, sífilis e gonorreia, para citar alguns, pode diminuir o risco de infecção urinária.

Risco de infecção urinária também para os homens

Fazer xixi após o sexo é hábito recomendado também para homens, que igualmente podem expor-se à ação de microorganismos no ato sexual, independentemente da idade. As infecções urinárias em representantes do sexo masculino, quando não devidamente tratadas, podem desencadear dores nos testículos, comprometer a ejaculação e levar até à prostatite crônica (problema difícil de combater inclusive pelos antibióticos).

Em casos mais graves, as contaminações iniciadas no trato urinário inferior, tanto em homens como em mulheres, podem migrar e atingir os rins, gerando lesões sérias e irreversíveis.

Para as mulheres, mais uma vez, além de fazer xixi após sexo orienta-se que façam uso diário de calcinhas de algodão, que proporcionam maior respirabilidade à genital. Caprichar na alimentação para fortalecer o sistema imunológico é outra atitude válida.

Ao dispor de um mecanismo imune mais resistente, o organismo é capaz de eliminar sozinho germes comuns, como os que ingressam no corpo via sexual para provocar incômodos urinários, diminuindo bastante o risco de infecção urinária.

De qualquer forma, ainda que atente para estes pequenos cuidados, a consulta regular ao médico é imprescindível. Desconfortos para urinar ou na hora do sexo devem ser relatados para terem suas causas devidamente identificadas pelo doutor.

Gostou das nossas dicas sobre o risco de infecção urinária? Então deixe um comentário e acompanhe nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
sexo
doenças
infecção urinária

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ