Amor e Sexo

18/02/2015 08:54 - Atualizado em 03/12/2016 09:25

Parafilia: Saiba o que é fetiche e o que é perversão

O cinema reacende a discussão sobre a parafilia, do prazer ao crime em busca do prazer.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O filme 50 Tons de Cinza, baseado no livro homônimo, reacendeu a discussão sobre o que é ou não saudável, permitido e “normal” entre duas pessoas que se amam. A obra coloca em pauta, inclusive, a parafilia - as preferências sexuais bizarras e doentias que um indivíduo pode desenvolver ao longo da vida.

parafilia

Da parafilia ao preconceito há uma linha tênue. Houve um tempo em que a homossexualidade e até a masturbação eram consideradas perversões sexuais.

Christian Grey, o personagem multimilionário da obra de E. L. James, reúne as mais conhecidas práticas de parafilia, resumidas na sigla BDSM. Trocando em miúdos: bondage (fetiche por imobilizar o parceiro), disciplina (fantasias relacionadas a punição e castigo) e sadomasoquismo (prazer de provocar e sofrer dor).

Porém, além das práticas apresentadas em 50 tons de cinza, o mundo da parafilia é habitado por outros fetiches - alguns potencialmente perigosos, outros inofensivos.

Parafilia: Conheça as práticas mais perigosas

Para algumas pessoas, alcançar o prazer só é possível flertando com o perigo e o risco de morte. A asfixiofilia, por exemplo, já fez algumas vítimas. Ela consiste em táticas de reduzir o oxigênio do cérebro e, dessa forma, chegar ao orgasmo. O ator David Carridne, eternizado pelo filme Kill Bill, faleceu em 2009, vítima dessa prática.

A pirofilia, prazer sexual fixado no fogo e nas consequências dele, também pode ser bastante perigosa. Muitos incêndios não investigados podem ter origem nessa parafilia. A aiquemofilia é outra que pode causar sérios acidentes. Trata-se da atração sexual pelo manuseio de objetos cortantes.

Algumas práticas não apresentam necessariamente um risco à vida dos envolvidos, mas são consideradas criminosas. Entre as que mais ocasionam vítimas está a pedofilia (atração sexual por crianças) e o exibicionismo (prazer que um homem pode ter ao mostrar a genitália para uma mulher desconhecida, sem o consentimento dela).

O froutterismo, o ato de um homem esfregar o pênis em uma mulher estranha vestida, costuma ocorrer com frequência em ônibus, trens e elevadores. Esse hábito é igualmente considerado um crime.

Parafilia tem cura?

Por outro lado, tem parafilia que pode parecer engraçada, num primeiro momento, embora também possa levar a sofrimento. A coreofilia, por exemplo, é o fetiche pela dança. Já a crematistofilia pode causar prejuízos financeiros, já que consiste no prazer em dar dinheiro ou em ser roubado.

Por se tratar de um desejo, um impulso, não se pode dizer que parafilia tem cura. Porém, se o sofrimento em função disso for grande, é indicado procurar um profissional. Um psicoterapeuta pode ajudar a entender, lidar ou mesmo controlar esses comportamentos desviantes. Agora, se o sexo fizer bem e não machucar ninguém, pratique sem medo.

E você, tem algum fetiche? Conte para nós! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar por dentro de todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
sexualidade
fetiche
comportamento
perversão

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ