Amor e Sexo

13/01/2015 01:19 - Atualizado em 05/12/2016 11:22

Fidelidade: Saiba por que o Carnaval é teste para os casais

A euforia causada pela festa pode se tornar ameça à fidelidade mantida por um casal.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A monogamia e a fidelidade são assuntos muito debatidos na realidade liberal da atualidade. Quem é fiel, realmente? Até que ponto a monogamia vale a pena? Enquanto isso, o medo da infidelidade ronda muitos romances. Em algumas situações específicas, como é o caso do Carnaval, a traição pode se tornar uma ideia ainda mais atrativa - e uma ameaça ao relacionamento.

fidelidade

Carnaval ameaça a fidelidade

O Carnaval surgiu como uma festa de despedida de hábitos para a entrada em um período de jejum e de penitência, chamado Quaresma. O nome da festa tem origem no latim, sendo que carnis, significa carne, e vallis, prazeres. Uma festa para os prazeres da carne, onde se comia muito, bebia muito e buscava saciar todos os prazeres, inclusive os sexuais.

O tempo passou, o Carnaval ganhou novos significados, mas a tradição dos festejos se manteve a mesma. No Brasil, muita bebida, paquera e clima de descompromisso geral fazem parte da festa, que tem grande relevância cultural. É essa ideia de que todas as responsabilidades e os compromissos passam a valer só depois da folia que gera o alto número de traições no Carnaval.

A falta de fidelidade que ocorre nesse período está diretamente ligada a um elemento muito característico da cultura brasileira: tudo no país começa depois do Carnaval. É como se, durante esse período, tudo ficasse suspenso.

Unida à grande quantidade de bebidas alcoólicas que costumam ser ingeridas nos festejos, a despreocupação com as consequências de cada ato pode aumentar de forma considerável - e perigosa.

Ser fiel não é o forte do brasileiro

Mas não é só no Carnaval que as traições acontecem. Um levantamento realizado pelo site Ohhtel, uma rede social americana, mostrou que a fidelidade não está em alta no Brasil.

Em pouco mais de 3 meses de atuação no país, a rede já conta com 315 mil usuários, contabilizando uma adesão de cerca de 80 mil pessoas por mês. Nos Estados Unidos, onde o site já é consolidado, a adesão mensal não passa de 50 mil pessoas.

O dado é um indicativo de que talvez haja por aqui um interesse em encontrar meios para trair sem deixar vestígios. Mais do que relacionar-se com uma pessoa enquanto está comprometida com outra, os brasileiros não revelam para os parceiros a traição, já que o episódio não costuma se transformar em casos mais duradouros.

O que pode comprometer a fidelidade

Nem sempre o desejo sexual por uma outra pessoa é a principal ameaça para a fidelidade. Geralmente, problemas na relação levam alguém a procurar prazer fora de casa. Os momentos de dúvidas, complicações e incertezas pelos quais passam os relacionamentos fazem as pessoas pensarem que novas aventuras podem devolver a felicidade de antes.

Os homens geralmente têm menos paciência e tato para lidar com essas situações. Não é à toa que ainda são eles os que mais traem. As mulheres são educadas pelas famílias e pela sociedade a buscar solucionar os problemas e apaziguar as crises, já que fidelidade e lealdade ao que construíram são características que fazem parte da personalidade feminina.

No caso masculino, não é bem assim que acontece. Os homens têm uma tendência natural a fugir dos problemas que lhes parecem sem solução. Mas também têm dificuldade em viver sozinhos.

Por isso, procuram outras pessoas com quem possam encontrar prazer. Ao mesmo tempo, os homens têm dificuldade em deixar para trás algo que já conquistaram, por isso, raramente terminam relacionamentos.

E você? Sabe do que precisa para que seu relacionamento sobreviva ao Carnaval? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
relacionamento
sexo
vida a coisa
casal

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ