Amor e Sexo

05/04/2016 01:00 - Atualizado em 09/12/2016 08:35

Ex-amor pode virar amigo de novo

Manter a admiração e o respeito pelo outro é um cuidado fundamental para ressignificar a presença da pessoa na sua vida.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Imagine que você viveu 15 anos ao lado de uma pessoa e, então, vocês resolvem se separar. Cada um para um lado. Não tem mais contato. Ele se torna um ex-amor. Mais de uma década de convivência que foi esquecida e que se torna uma mágoa, uma espécie de ressentimento. Você acha que esse é um fim justo para um relacionamento tão longo?

O término de uma relação amorosa com alguém que dividiu a vida por tanto tempo com você não significa, necessariamente, a interrupção do contato entre os dois. Segundo a psicóloga Lelah Monteiro, é possível - e saudável - que um ex-amor se torne um novo amigo.

mulher e ex-amor almoçam felizes

As possibilidades de conviver com o ex-amor

Para a especialista em terapia de casais, a possibilidade de amizade com alguém que foi seu cônjuge ou namorado depende diretamente da forma como os dois encararam o fim da relação. “Com o passar do tempo, uma vez que cada um tomou um rumo diferente, perdoou o outro e ressignificou a situação, é bem possível que se tornem amigos”, diz Lelah.

O ex-amor é alguém que fez parte da sua vida, com quem você dividiu a casa, a cama, as tarefas e as responsabilidades. É uma pessoa que esteve ao seu lado em momentos de dificuldade, que ajudou e celebrou as conquistas com você e que sabe dos seus pontos fracos e fortes melhor que ninguém. Essas podem ser características perfeitas para um amigo.

Segundo Lelah, o fato de o outro lhe conhecer tão bem e entender suas necessidades é um ponto positivo para a relação de amizade. Compreender que o ex-parceiro já faz parte da história da sua vida e que ele pode ocupar uma outra posição nos seus relacionamento afetivos é um caminho para obter o sucesso nessa reconstrução.

Para construir a amizade

Se você deseja construir uma amizade sólida com o seu ex-amor, é importante que analise como foi o fim da relação. Para a psicóloga, muitas vezes o relacionamento fraterno já é mais presente que a paixão, mesmo antes de o casamento ou o namoro acabar. O casal vai se distanciando e perdendo o desejo característico dessas relações.

Os eventos sociais, as mágoas acumuladas da rotina e o desgaste natural da convivência excessiva acabam deixando para trás aquele frio na barriga das primeiras semanas. Muitas vezes, o cansaço da relação pode causar revolta e ressentimentos antes que você passe a enxergar o outro com uma nova possibilidade de amor.

Porém, essas são etapas comuns, segundo Lelah. A profissional diz que é preciso aprender a controlar e canalizar esses resquícios do ex-amor para construir a amizade. “Pare de culpar o outro e de cobrar dele. Perdoe a si mesmo e ao parceiro, também. Se a relação acabou, siga em frente. Evite frequentar os mesmos lugares logo após o término e aceite as decisões da pessoa”, indica a psicóloga.

Perceber que o ex pode ser um amigo é libertador. Quando você entende isso, consegue perder o medo de terminar o relacionamento e destruir tudo de bom que foi conquistado. Lelah afirma que é preciso desprender-se desses conceitos. O que foi vivido não é perdido em momento algum. Por isso, é importante que também não se percam o respeito e a admiração.

E a sua relação com o ex, como é? Deixe um comentário! Se gostou do artigo, aproveite para compartilhar as informações com os amigos nas redes sociais. E não se esqueça de conferir outras dicas de bem-estar aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
relacionamento
amizade
vida a dois
separação

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ