Amor e Sexo

14/10/2014 09:14 - Atualizado em 10/12/2016 09:17

Entenda o que está por trás de desvios no comportamento sexual

Segundo sexólogo, comportamento sexual pode levar à troca da fonte de prazer tradicional.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Todas as pessoas nascem com pré-disposição erótica. Freud revolucionou o mundo ao mostrar que até mesmo os bebês sentem prazer na estimulação de determinadas áreas corporais.

Na vida adulta, o desejo e as estimulações sexuais se dão através da relação com outras pessoas e é nesse contato que se revela o comportamento sexual de cada indivíduo, a forma como ele interage com o seu parceiro.

comportamento-sexual

O fato é que nem todas as pessoas seguem um mesmo padrão no momento de expressar seu desejo e sexualidade. Assim como alguns indivíduos são mais retraídos e preferem desenvolver um papel passivo na relação, outras se interessam por um ato sexual mais intenso, beirando a agressividade.

A essas preferências, que fogem da entrega mútua natural, chamamos comportamento sexual desviante.

Os desvios comuns no comportamento sexual

Esses desvios na conduta sexual das pessoas são chamados de parafilias e se caracterizam, de forma geral, pela troca da fonte de prazer tradicional.

Se, no ato sexual das pessoas que possuem um comportamento normal, o prazer está na cópula, a relação sexual dos parafílicos busca prazer em um objeto externo e em outras ações, como fantasias ou a fricção da região genital na roupa do parceiro.

Os desvios comportamentais são mais comuns do que se imagina e nem sempre representam perigo. “É importante esclarecer que os desvios do comportamento sexual são considerados nocivos somente quando impõem sofrimento ao próprio individuo, isto é, quando o ato não valoriza o objeto sexual, servindo única e exclusivamente para aliviar uma angústia”, diz o sexólogo Amaury Mendes Junior.

O sadomasoquismo, por exemplo, que ficou mundialmente famoso no livro Cinquenta Tons de Cinza, pode ser considerado uma parafilia. Sendo que o prazer em sentir dor e em oferecer dor, ideia na qual se baseia a prática, nasce com todos os seres humanos, mas só se desenvolve em alguns.

O fetichismo também é um desvio comportamental. Nele existe, além do prazer, o culto por algum objeto, como os pés.

A perversão no comportamento sexual

Mesmo que alguém apresente um comportamento sexual parafílico, essas atitudes só alcançam o patamar de perversão quando o sexo se torna uma espécie de ritual.

Os indivíduos com perversão sexual são compulsivos pelo objeto que lhes dá prazer e possuem relações sexuais iguais entre si, como se obedecesse a uma espécie de lei. Essa é, na verdade, uma maneira de fugir do sofrimento psíquico.

Para Amaury Junior, o ato sexual de um indivíduo pervertido é uma espécie de encenação. “Geralmente escolhem ocupação ou hobby que lhes permita o contato direto com o estimulo erótico necessário. Frequentemente são abandonados pelos parceiros, que percebem serem apenas atores de papeis rígidos e inflexíveis onde os sentimentos não contam”, explica o sexólogo.

Mas a origem das parafilias, de modo geral, é alguma experiência sexual anterior. Experiências traumáticas, abusos emocionais e sexuais ainda na infância ou um estresse intenso ocasionado por algum fator ligado ao sexo já na fase adulta podem despertar ou desenvolver determinado interesse no indivíduo.

A pedofilia, por exemplo, é um desvio no comportamento sexual que foge do controle. “Grande parte dos pedófilos sofreu algum tipo de abuso sexual quando criança. A teoria da congruência emocional cita como causa a interrupção do desenvolvimento psicológico do adulto com baixa autoestima e a pouca habilidade pessoal nos relacionamentos heterossexuais em adulto”, afirma Amaury.

O grande problema das parafilias é quando elas passam a afetar todos os âmbitos da vida do indivíduo e não apenas o sexual.

Um parafílico pode se tornar tão compulsivo com relação ao objeto que lhe dá prazer que isso pode levá-lo a quadros de ansiedade, depressão e desordens de personalidade. Todos esses fatores contribuem para o enfraquecimento emocional que, por vezes, acarreta o uso de drogas.

Se você gostou de saber mais sobre o assunto, deixe um comentário! E não esqueça de acompanhar nossa página no Facebook para receber todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
sexo
sexualidade
desejo sexual
vida sexual

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ