Amor e Sexo

05/09/2014 08:00 - Atualizado em 07/12/2016 04:29

Em busca do orgasmo: Aprenda a alcançar o prazer máximo nas relações

Tabu histórico, orgasmo feminino ainda é reprimido em muitas partes do mundo.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Nunca o sexo foi discutido tão amplamente pela sociedade como é feito. Jamais o prazer sexual teve destaque tão grande entre os assuntos que interessam a população. Mas infelizmente algumas crenças antigas se mantêm arraigadas na cultura. O orgasmo feminino, por exemplo, ainda é visto por muitas pessoas como um tabu: tanto quem chega lá quanto quem não chega nem perto costumam deixar o assunto de lado.

orgasmo


O orgasmo é o fim de um ciclo de resposta que se forma no ato sexual e representa o ponto máximo do prazer corporal e mental, já que une os estímulos físicos aos estímulos realizados no cérebro. O momento não tem longa duração e costuma acabar em poucos segundos.

Apesar disso, há práticas como o sexo tântrico que prometem prolongar o orgasmo, fazendo com que dure por alguns minutos e até por horas. Nem sempre ele é seguido de ejaculação, principalmente em mulheres, já que a ejaculação feminina é bastante rara.

O tabu do orgasmo

A incapacidade que muitas mulheres possuem de de ter um orgasmo ou de falar sobre ele é uma herança histórica vinda de gerações passadas. O prazer sexual feminino sempre foi discriminado, já que o sexo deveria dar prazer apenas ao homem, enquanto para a mulher ele seria somente um meio de reprodução.

O problema é que mesmo hoje, em meio a tantas conquistas realizadas pelas mulheres, em uma sociedade que busca diariamente a igualdade de sexos, o prazer feminino ainda é escondido e recriminado.

Em países da África e da Ásia, mulheres sofrem mutilações em seu clitóris para que não sintam prazer e assim não traiam seus maridos. E é essa repreensão que causa em muitas mulheres o medo de sentir prazer.

"Ainda vivemos em uma sociedade repressora, que considera que mulheres devem se preservar e de que ficou para homens liberar as energias sexuais – mas as mulheres também sentem prazer, têm hormônios, têm libido. Mulheres sedutoras foram consideradas bruxas e queimadas na fogueira na Santa Inquisição; ainda restaram resquícios disto na sociedade moderna", lembra a psicóloga e terapeuta sexual Keila Oliveira.

As descobertas sobre o orgasmo

Apesar do alto índice de mulheres que nunca sentiram os prazeres de gozar, existe uma parcela da população feminina que enfrenta os medos estabelecidos culturalmente e não tem medo de falar sobre o próprio prazer. É por isso que foi possível chegar a tantas conclusões a respeito desses instantes de ápice da relação sexual.

Segundo especialistas, é possível chegar ao ponto mais alto do prazer sem que o clitóris seja tocado. O ponto, conhecido durante décadas como a chave para lubrificação feminina, hoje é visto como apenas mais uma das zonas erógenas a serem incitadas. Os pesquisadores acreditam que quanto mais saudáveis e liberais são as mulheres, mais facilmente elas chegam ao ápice.

Da mesma forma, um estudo, da Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, indicou: lésbicas sentem mais orgasmos do que mulheres heterossexuais. Falha masculina? Nada disso. É que mulheres lésbicas são menos afetadas pelos preconceitos e se permitem mais, conforme a pesquisa.

A começar pela masturbação, melhor método para conhecer o próprio corpo e saber aquilo que lhe agrada. Além disso, mulheres conhecem as outras mulheres e as relações entre lésbicas costumam durar mais tempo do que o ato sexual entre um homem e uma mulher.

Para sentir um orgasmo

- Sem frustrações

Em primeiro lugar, deixe de lado todas os problemas e frustrações. Para entregar-se ao prazer é preciso esquecer tudo aquilo que lhe causa tensão e assumir uma postura de diversão e liberdade do início ao fim, o que ajuda a chegar ao orgasmo

- Conheça seu corpo

Quando estiver sozinha, no banho ou na cama, procure saber quais pontos do seu corpo lhe causam sensações agradáveis quando estimulados e como isso deve ser feito

- Converse

Explique ao seu parceiro o que lhe dá prazer e o que lhe desagrada. Para isso, o passo anterior é muito importante: não se pode dizer a alguém do que gosta se você não souber do que gosta.

- Relaxe

Você não tem obrigação de dar ao seu parceiro a melhor transa da vida dele. Você precisa dar a si mesma a melhor relação que você puder naquele momento. Sexo é uma questão de contato entre o casal, de intimidade e de entrega mútua - não uma imitação daquilo que você leu nos livros ou ouviu de seus amigos.

"O casal precisa experimentar maneiras diferentes de se relacionar na cama, tentando construir um ambiente que proporcione maior intimidade sexual, de massagens nos genitais, carícias e conhecimento do próprio corpo e do corpo do outro. Com isso, vão estar mais tempo disponíveis nas preliminares e conhecer a sensibilidade das próprias zonas erógenas e das do parceiro. Estas nuances permitem o conhecimento e a chegada do orgasmo", conclui a terapeuta sexual.

E você, curtiu nossas dicas? Então deixe um comentário! E fique ligado ligado em nossa página no Facebook para receber todas as atualizações do Vivo Mais Saudável.

TAGS
sexo
relacionamento
bem-estar
saúde

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ