Amor e Sexo

28/03/2015 09:45 - Atualizado em 07/12/2016 07:25

É possível manter acesa a sexualidade na terceira idade

Conhecendo e se adaptando às mudanças fisiológicas, os idosos podem manter uma vida sexual ativa.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Com a expectativa de vida aumentando e os idosos levando uma vida cada vez mais saudável, a ideia de que não é possível manter a sexualidade na terceira idade se tornou ultrapassada. Os idosos podem, e devem, ter uma vida sexual ativa, buscando maneiras de se adaptar às mudanças e às limitações que surgem no corpo com o tempo.

As mudanças da sexualidade na terceira idade

O interesse sexual é normal em todas as idades. Porém, as alterações físicas e hormonais que acontecem no corpo com o passar dos anos causam mudanças também no comportamento sexual das pessoas. Mesmo com essas transformações, manter a sexualidade na terceira idade é possível.

sexualidade na terceira idade

Nas mulheres, o envelhecimento diminui a produção hormonal, reduzindo também a libido. As mudanças físicas começam com a chegada da menopausa, causando alterações fisiológicas na pele, na mucosa genital e nas mamas. A lubrificação vaginal diminui e a própria forma do órgão sexual também pode se modificar.

Já os homens perdem o vigor e ereção se torna menos rígida e mais lenta. A partir dos 40 anos, a produção de espermatozoides diminui. Ocorre também a diminuição da dopamina e o aumento da prolactina, o que reduz o desejo sexual. O volume da ejaculação é menor, assim como a sua força.

Algumas doenças comuns na terceira idade afetam a sexualidade, como é o caso de artrites, hérnia de disco, doenças cardíacas, derrame, anemia, doença de Parkinson e Peyronie. Determinados medicamentos usados nos tratamentos dos problemas também podem prejudicar a atividade sexual.

Ainda, questões emocionais contribuem para a diminuição do desejo sexual, como quadros de depressão e dificuldade de lidar com a aposentadoria, perda de entes queridos ou até mesmo o próprio envelhecimento.

Para esses casos, a busca por informação e aceitação é fundamental para o relacionamento do casal.

Como manter a sexualidade na terceira idade

Buscar maneiras de aumentar a autoestima e encontrar novas formas de prazer é fundamental na terceira idade. No caso de disfunção erétil ou da impotência sexual, por exemplo, uma boa dica é procurar outras zonas erógenas que podem ser exploradas.

É preciso entender que idade e muitas doenças não significam o fim do sexo. Basta conhecer-se melhor e adaptar-se às mudanças fisiológicas. O casal deve descobrir junto maneiras de utilizar as transformações para manter a intimidade e aumentar o prazer e a satisfação.

Para melhorar a vida sexual dos idosos, é indicada a prática de exercícios físicos, repouso adequado e mudanças de posição durante a relação. Sem falar que ainda existe a opção do famoso medicamento azul para disfunção erétil. Com o surgimento dele, novas possibilidades foram apresentadas para a sexualidade na terceira idade.

Com isso, é comprovado que não existe limite de idade para manter atividades sexuais, mesmo com as mudanças fisiológicas. A sexualidade também é uma maneira de expressar carinho e afeto pela outra pessoas, e esses sentimentos não têm idade. O corpo e as sensações podem mudar, mas isso não significa que as relações devam chegar ao fim.

Gostou das dicas de bem-estar? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar por dentro de todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
idosos
casais
velhice
relacionamento

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ