Dra. Pamela Magalhães

ESPECIALIDADE

Psicologia Clínica

ONDE ATENDE

Rua Rouxinol, 60, sl. 904, Moema - SP

Dra. Pamela Magalhães

Apresentação

Pamela Magalhães é psicóloga especialista clínica e hospitalar, estudiosa do núcleo de estudos e prática sistêmica de casais e vínculos familiares. Comentarista de comportamento e relacionamento pelo programa Tribuna Independente, da Rede Vida.

O que Trata

Prática de sistemas de casais e vínculos familiares.

Formação Acadêmica

Formada em Psicologia pela Universidade Mackenzie, em 2005. Especialização em Psicologia hospitalar pelo Hospital do Coração; especialização em Psicodinâmica winnicotiana pela IPPESP; especialização em Prática sistêmica de casais e vínculos familiares pelo Instituto Sistemas Humanos, de SP. 

Cargos e Títulos

Especialista clínica, hospitalar, e casal e família. 

Amor e Sexo

20/08/2015 06:00 - Atualizado em 04/12/2016 01:07

Deseja que seu relacionamento dure? Psicóloga dá dicas importantes para uma relação saudável

Diálogo, bom humor, criatividade, essas são algumas das dicas especiais para um relacionamento mais consistente.

POR

Dra. Pamela Magalhães

  • +A
  • -A

Você começa um relacionamento e deseja que ele dure para sempre, não é? E se seu casamento está em crise e você quer consertar e não sabe como? A psicóloga Pamela Magalhães vai dar 10 dicas interessantes para que você e seu companheiro (a) sejam felizes. 

Como está sua saúde emocional? Faça o teste.

1- Vontade de estar junto: partir que ambos queiram estar juntos deve ter um denominador comum.

As incertezas podem contaminar a relação. Não pode existir o “ah, não sei se vai dar certo”. Os casais precisam ter o desejo de estar juntos.


2- Disponibilidade afetiva. É preciso encontrar um espaço para amar, e dar um espaço para o outro, enxergando e percebendo-o como um legítimo outro.

É importante perceber se o parceiro tem disponibilidade para estar com você, se há espaço para existir uma relação a dois. Deve-se perguntar para si se está preparado para essa relação.

 

3- Ser flexível. Permitir-se ajustes e favorecer acordos.

Muitas relações são individuais. Se eu começar um relacionamento e não entender que o outro é diferente, vou querer que ele faça as coisas da minha maneira. Nesses casos eu costumo dizer uma frase: “Nem muito eu, nem tanto você, mas um pouco de nós.”


4- Exercitar a tolerância à frustração. Lidar e suportar as intercorrências da vida a dois. 

As pessoas ficam muito ansiosas na relação e não permitem conversar, entender, elaborar compromissos juntos.


5- Delicadeza. O encanto da relação precisa desse combustível.

No momento da conquista nós tendemos ser gentis e agradáveis. A rotina faz com que as pessoas entendam que não precisam mais de tanta delicadeza, justamente por isso, se esquecem da importância da gentileza e a possibilidade de se reapaixonar.

 

6- Empatia. A habilidade indispensável de colocar-se no lugar do outro, dosando e ponderando comportamentos.

Quando estamos em uma relação, precisamos aprender a se colocar no lugar do outro, isso nos faz se tornar mais cúmplices.

Saiba Mais
Amor verdadeiro existe: Veja 4 dicas para a vida a dois
Descubra se amizade colorida pode virar namoro
Reencontro com amor do passado desperta sentimentos confusos

7- Diálogo. A comunicação é a chave que viabiliza toda e qualquer possibilidade de contato, compreensão e fortalecimento da relação.

A comunicação não se pode calar, ela tem que entender as mudanças da vida.


8- Bom humor. A arte de tornar tudo mais leve, a qualidade de tornar suportável mesmo os mais difíceis momentos, a virtude de fazer sorrir quem se ama.

A insatisfação faz parte da condição humana, para que possamos viver com bom humor devemos ter sabedoria. Ao invés de ficarmos imersos numa situação ruim, é necessário descobrir subterfúgios, alternativas para a manutenção da estabilidade afetiva.


9- Criatividade. Virtude para repaginar a rotina, diversificá-la e assim, não se perder nela e cair no desgastante comodismo.

O casal deve perceber o quando a rotina pode ser desgastante e tentar diversificá-la. Por que não tornar uma atividade física com o parceiro algo da rotina, ou ver um filme juntinhos uma vez por semana? Devemos colocar na rotina algo que favoreça os dois. Se nós temos dias para pagar as contas, porque não ter o dia do momento lúdico ou do passeio?

10- Maturidade emocional. Para com sabedoria lidar com as contingências inevitáveis da vida.

A maturidade é conquistada com a experiência de vida e a capacidade que temos de absorver o aprendizado. Quanto mais nos permitimos a aprender, mais teremos recursos para viver. A maturidade faz com que tenhamos maior responsabilidade conosco e com os outros.

E você, aprovou as dicas? Deixe seu comentário. E não esqueça de conhecer o Vivo Mais Saudável no Facebook

 

TAGS
namoro
psicóloga
como ter um relacionamento duradouro

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ