Amor e Sexo

03/06/2015 06:39 - Atualizado em 05/11/2016 03:13

Conheça a história de amor do conde francês que se apaixonou pela carioca da gema

Apesar dos caminhos cruzados, Daniela e Vassia se encontraram e vivem uma sólida relação de amor.

POR

Cláudia Giúza Mercier

  • +A
  • -A

Para celebrar o “Dia dos Namorados”, o Vivo Mais Saudável foi atrás de histórias de pessoas que superaram muitas barreiras em nome do amor. Neste relato, vamos contar sobre o encontro entre um conde francês e uma "carioquérrima", como ela mesmo se intitula. 

Aquele ditado que “o que tem que ser ganha força” parece não ser só crença dos mais místicos. Prova disso foi a forma em que a produtora cultural Daniela Verissimo Costa Tolstói, 42 anos, e o fotógrafo Vassia Tolstói (Vavá para os amigos), 38 anos, se conheceram.

Ela, carioca da gema. Ele, francês, nascido em Paris. Ela, morava na capital francesa. Ele, no Rio de Janeiro. Mas no verão de 2006 os dois se conheceram em uma festa na Cidade Maravilhosa.

Começava uma história de amor

Daniela estava de férias no Rio e conheceu Vassia “após uma noitada na qual eu estava com uma amiga e ele com um amigo e pulávamos de bar em bar e nos cruzávamos em todos os pontos de parada”, relembra. “Até que finalizando com o último chopp e uma fatia de pizza, nos deparamos novamente e foi assim que começou nossa história”, relembra Daniela.

Mas para reforçar ainda mais as coincidências, os dois se reencontraram no dia seguinte por acaso. “Cheguei na praia e a primeira pessoa que vi foi o Vassia. Acabei descobrindo que ele conhecia vários amigos meus. Ele já estava morando no Rio há dois anos, era quase um carioca.”

Os dois passaram a tarde jogando frescobol e, tempos depois, Vassia confessou a ela que “quando viu minhas ‘chevilles’ (canelas em francês ) foi amor a primeira vista”, brinca.

Mas o mesmo não tinha acontecido com Daniela "diferentemente de minhas outras relações em que bastava um olhar e sabia que queria aquele homem." Ela era produtora e havia se mudado para França por uma outra história de amor, “me apaixonei por um francês que conheci num voo e acabei ficando 10 anos, não com ele, mas morando na cidade.”

Daniela conta que a relação foi construída aos poucos. “Até que um dia, após um passeio incrível de barco pelas ilhas Cagarras (Rio), fomos para uma festa. Dançamos muito a noite toda, aí não teve jeito, vivemos uma noite incrível de amor.”

Encontros e desencontros

Após o Carnaval de 2008, o casal passou uma temporada junto no Sul da Bahia. “A nossa relação ficou séria. Porém, os planos que tínhamos para nossas vidas eram diferentes”, relembra a carioca. 

Ela foi chamada para trabalhar como relações públicas em um tradicional bistrô de Paris e Vassia também retornaria para a capital francesa para resolver algumas burocracias. Mas ele já estava decidido a se mudar definitivamente para o Rio. “Achávamos que nossa relação ia desandar e foi um pouco o que ocorreu. Em Paris cortamos nossa relação, tudo passou a ser meio esquisito, nos afastamos”, conta Daniela.

Daniela relembra que cinco meses havia se passado e Vassia não tinha retornado ao Brasil, mas os dois passaram todo esse tempo sem se ver. Mas um tempo depois, ele apareceu durante a madrugada no local em que ela trabalhava, “eu brinco que ele me resgatou aos 44 do segundo tempo.”

Ela conta que nessa noite eles foram embora juntos e os dois trocaram muitas declarações de amor. “Não nos desgrudamos mais, me mudei para casa dele e em um mês e Vassia me pediu em casamento!”

Para celebrar a novidade eles organizaram uma festa no bistrô em que Daniela trabalhava, e, além do pedido, o amado contou que com o casamento ela teria o título de Condessa. Vassia é francês, mas de origem uruguaia ( lado materno ) e russa ( por lado paterno). Ele é tataraneto do escritor russo Léon Tolstói, de onde vem o nome de família e o título de nobreza.

O casal decidiu se casar no Brasil e Vassia não abria mão de construir uma família no país. Daniela conta que finalmente aceitou a ideia, “o Brasil estava passando por um momento de positividade e esperança. Pensei que já tinha feito um ciclo de 10 anos em Paris. Por que não tentarmos viver juntos no Rio? Afinal, é a cidade onde nos apaixonamos e onde também vive toda minha família”, considerou.

Eles retornaram ao Rio de Janeiro no final de 2008 e se casaram no início de 2009. “Foi uma noite inesquecível, repleta de amigos e familiares vindos do mundo inteiro”, relembra a noiva.

Daniela continua com o seu trabalho como produtora de eventos e Vassia tem uma agência de criação, onde atua como design gráfico e diretor de arte. No fim do ano passado, o casal abriu um bar em Ipanema. No cardápio e na carta de vinhos, nada de origem francesa. A especialidade da casa são produtos tipicamente brasileiros, misturados com a excelência francesa e a simpatia e simplicidade do carioca. Os dois desejam aumentar a família e brincam que "estão encomendando" um bebê.  

E você? Já encontrou o amor da sua vida? Compartilhe com a gente a sua história. E continue acompanhando o Vivo Mais Saudável para conhecer outros relatos.  

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ