Amor e Sexo

31/03/2015 04:52 - Atualizado em 08/12/2016 11:52

Bissexual sofre preconceito inclusive no meio gay

Gente que se atrai por homens e mulheres ainda tem dificuldade de assumir sua orientação.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Ser bissexual significa sentir-se atraído por homens e mulheres. A excitação por ambos os sexos é involuntária. Para muitas pessoas, é complicado entender como essa reação orgânica é possível, mas ela é natural, apesar de ser taxada como um tabu.

Em contraste à heterossexualidade e à homossexualidade, a bissexualidade é menos declarada. Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos comprovou que apenas 28% das pessoas que se consideravam bissexuais abriam sua orientação ao público. Saiba por quê.

bissexual

O que é ser bissexual?

Muito se fala em ser homo ou heterossexual, deixando a condição bissexual menos discutida. Esse fato provoca uma onda de preconceito pouco problematizada. De acordo com o Instituto Americano de Bissexualidade (AIB), os heterossexuais costumam ter uma visão mais negativa em relação a bissexuais que a gays.

As atitudes preconceituosas são ainda maiores com os homens bissexuais, pois a crença geral desses grupos é de que a bissexualidade é uma orientação inventada, conveniente para quem quer experimentar o sexo com homens e mulheres.

Ativistas do AIB também falam que a própria comunidade gay, vítima de constante preconceito, minimiza e discrimina quem é bissexual. Segundo a instituição, os homossexuais pensam, por ignorância, que os bi são confusos e indecisos quanto à sexualidade. Na verdade, a orientação desse grupo é tão verdadeira e profunda quanto qualquer outra.

Os bissexuais não são gays, nem podem ser rotulados como tal. Sua sexualidade é voltada para os dois sexos, masculino e feminino, bem como seus estímulos emocionais e sexuais. Em resumo, quem é bi pode manter relacionamentos com homens e com mulheres.

Bissexuais merecem respeito

Os padrões de excitação do bissexual são idênticos frente a mulheres e a homens. No entanto, o sexo masculino tende a mascarar mais esse desejo por ambos os sexos por medo do preconceito. Dessa forma, alguns homens mantêm um relacionamento com alguém do sexo oposto mas vivem, na clandestinidade, experiências sexuais com o mesmo sexo.

bissexualEm São Francisco, nos Estados Unidos, a Comissão de Direitos Humanos classificou os bissexuais como uma categoria invisível, que precisa de apoio para erradicar a bifobia e poder abrir a orientação.

Acabar com os estereótipos e a desinformação é o único meio de promover a liberdade no meio social.

A ex-ginasta brasileira Laís Souza, de 26 anos, declarou-se incomodada pelo fato de sua bissexualidade tomar mais atenção que sua condição física.

A atleta, que ficou tetraplégica durante os treinos para as últimas Olimpíadas de Inverno, diz que o apoio que necessita é para sair da cadeira de rodas, não para sua orientação sexual.

Da mesma forma, outros famosos exigem respeito por serem bissexuais. Angelina Jolie, Paris Hilton, Lindsay Lohan, Preta Gil, Billie Joe Armstrong, Drew Barrymore, Ana Carolina e diversos outros artistas já assumiram sua orientação sexual.

A luta dessas celebridades é contra o preconceito com quem é capaz de amar homens e mulheres da mesma forma.

O que você pensa sobre isso? Conte para nós! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para conferir dicas de bem-estar e ficar por dentro de todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
sexualidade
bissexualidade
desejo sexual
preconceito

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ