Amor e Sexo

02/06/2015 08:48 - Atualizado em 09/12/2016 02:14

Após quase 40 anos separado, casal espera viver um amor eterno

Entre encontros e desencontros, Valéria e Cláudio nunca perderam a esperança de ficarem juntos.

POR

Cláudia Giúza Mercier

  • +A
  • -A

Para celebrar o “Dia dos Namorados”, o Vivo Mais Saudável conversou com casais que superaram a distância, o preconceito e os sonhos interrompidos. Conheça a história da Valéria e do Cláudio. Eles são a prova de que quando o amor é verdadeiro o tempo não consegue apagar o sentimento.

Para contar sobre o casal a gente precisa fazer uma viagem no tempo, lá onde tudo começou, em 1974.  Valéria Maria Freitas Gomes, hoje com 56 anos, e Cláudio Saramago Alves de Barros, 58 anos, se conheceram na casa de amigos na cidade mineira de Muriaé.


A relação rapidamente ficou séria e eles chegaram até a trocar alianças de compromisso. “Logo já estávamos namorando e apaixonados”, conta Valéria. Mas em 1978, após quatro anos juntos, Cláudio se mudou para Campos, no Rio de Janeiro, para cursar faculdade e “as coisas se complicaram, problemas surgiram e nos separamos. Foi difícil para ambos, eu sofri muito”, relembra Valéria.

Em 1981, ela se casou com outra pessoa, e, no ano seguinte, Cláudio também oficializou a união vivida com outra mulher. Ele teve dois filhos dessa relação, e ela, foi mãe de uma menina. Quase 20 anos se passaram e, em 1997, Valéria e Cláudio se separaram dos parceiros. 

Apesar de todas as coisas que aconteceram nesse tempo, Valéria e Cláudio nunca perderam o contato. “Sempre pensei nele como meu companheiro, mas só soubemos disso bem mais tarde, pois não falávamos sobre esse assunto. Mesmo que esporadicamente, sempre mantivemos nossa amizade. Seguimos nossas vidas, com outros relacionamentos, mas continuamos a nos falar e a nos ver quando ele vinha rever os amigos em Muriaé. Sempre tivemos muito respeito e carinho um pelo outro.”

Amor eterno

E assim os anos foram se passando até que em junho de 2014, o casal passou a se falar com mais frequência. “A gente conversava pela internet e esse bate-papo foi ficando rotineiro, quase que com hora marcada, às vezes varando a madrugada. Voltamos então às lembranças do passado e percebemos que o amor que nos uniu lá atrás ainda existia”, comemora a apaixonada.

Os dois decidiram interromper os encontros virtuais e marcaram de se ver em Campos do Jordão, São Paulo, onde a família de Cláudio mora. “Eu  me sentia como uma adolescente em sua primeira noite de amor. Foi lindo, perfeito. O abraço apertado na rodoviária e o beijo depois de tantos anos nos deu a certeza de que sempre nos amamos, mas as vicissitudes da vida fizeram com que esse sentimento fosse abafado”, descreve Valéria.

“Percebendo que esse amor era latente, reatamos no final de agosto de 2014 e ficamos noivos no dia do aniversário dele, em novembro, com um pedido de casamento apaixonante 'você sempre foi a mulher da minha vida.'" Na época, Valéria ainda não era divorciada, apenas separada judicialmente. Até que toda papelada ficasse resolvida, eles optaram por fazer um  contrato de união estável.

A união

Passados 37 anos, Valéria e Cláudio finalmente se casaram. No último dia 23, eles celebraram a união em com uma festa para os familiares e amigos mais íntimos. O casal definiu esse momento esperado por tantos anos como “a realização de um sonho de uma vida inteira.”

Realizada, Valéria diz que “o conselho que posso dar a alguém que deixou um grande amor no passado é seguir adiante. Coincidências não existem, tudo está no lugar certo e o tempo de Deus é diferente do nosso. Crê e confia, porque o que é nosso volta.”


E você? Tem um amor do passado? Compartilhe com a gente a sua história. E continue acompanhando o Vivo Mais Saudável para conhecer outros relatos.  

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ