Amor e Sexo

17/04/2015 10:35 - Atualizado em 05/12/2016 12:23

Acredite: Orgasmos múltiplos não são lenda

Eles são raros entre as mulheres, mas existem. Entenda por que ocorrem os orgasmos múltiplos.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O ápice do estímulo sexual feminino é caracterizado pelo orgasmo. Quando, após o primeiro, ocorre uma sequência de excitações sexuais, acontecem os orgasmos múltiplos, uma espécie de exceção à regra, já que muitas mulheres não conseguem chegar nem ao gozo inicial.

Tudo está relacionado ao prazer durante a relação. Não existem posições exatas para se chegar ao orgasmo, muito menos regras. As mulheres que conhecem seu próprio corpo e descobrem aquilo que mais as excita são as que conseguem orgasmos múltiplos com maior facilidade. Quer saber como isso acontece? Confira.

orgasmos multiplos

Quem pode ter orgasmos múltiplos?

Segundo uma pesquisa do Programa de Estudos em Sexualidade, da Universidade de São Paulo, 26% das mulheres brasileiras nunca tiveram um orgasmo. Porém, ele não é apenas uma história da carochinha que suas amigas usam para se gabar. Os estímulos realmente existem e podem ser muito prazerosos.

Qualquer mulher pode atingir o gozo, inclusive orgasmos múltiplos. No entanto, ela precisa se sentir extremamente estimulada e querer continuar com a descarga sexual. Esse tipo de orgasmo que acontece em cadeia é uma combinação do clímax de prazer misturado com uma liberação de tensão corporal, geralmente com duração de apenas alguns segundos.

Ao contrário dos homens, que tendem a perder o estímulo depois de gozar, as mulheres conseguem manter a excitação. Dessa forma, se forem estimuladas corretamente e se entregarem ao prazer, vão atingir o orgasmo e, talvez, vários deles em sequência. Com o corpo aquecido e disposto, elas podem dar continuidade ao estímulo.

Porém, os orgasmos múltiplos não são necessariamente uma garantia de prazer. Pelo contrário, é possível que a mulher se sinta ainda mais desgastada e cansada após a descarga, pois ela libera muita energia. Ter mais de um orgasmo não significa que ela é melhor de cama ou tem mais prazer que as outras, mas sim que atingiu um nível de relaxamento corporal maior.

Já é difícil chegar ao primeiro orgasmo, por isso os sexólogos recomendam estimular o corpo com a masturbação para conseguir experimentar a sensação. Conhecer bem o corpo e as respostas dele aos estímulos recebidos é a principal maneira de descobrir como chegar a esse ápice de prazer.

O que acontece com quem não chega lá?

Eles foram considerados uma lenda feminina, tamanha a dificuldade para atingir os orgasmos múltiplos. Os tabus que envolvem a sexualidade da mulher de certa forma impediram que ela explorasse seus sentidos e atingisse um ápice maior de prazer. Mesmo não acontecendo com todas, hoje o gozo já é algo mais natural para elas.

É possível, porém, sentir prazer durante a relação sexual sem nunca ter gozado. Nessas situações, ocorre a anorgasmia, quando a mulher nunca teve um orgasmo desde que iniciou a vida sexual. Em outros casos, ela já gozou, mas simplesmente parou de ter orgasmos por algum motivo de saúde, seja física ou psicológica.

Também pode ocorrer de a mulher só conseguir chegar ao clímax em posições sexuais específicas ou se masturbando.

Atingir o orgasmo não é uma regra de prazer, mas pode ser uma experiência única de sensações e estímulos. Para chegar lá, é necessário que cada mulher explore seus sentidos e descubra como conquistá-lo. O físico e o psicológico devem estar envolvidos e a entrega no momento do ato é o que levará à descarga prazerosa de tensão.

Gostou das dicas? Deixe um comentário! E continue ligada no Vivo Mais Saudável para conferir mais novidades de amor e sexo.

TAGS
orgasmo
vida sexual
masturbação
sexo

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ