Para Eles

24/04/2015 03:27 - Atualizado em 08/12/2016 01:28

Chega de constrangimentos: Acabe com a ginecomastia

Cirurgia plástica pode ser a solução para resolver o desconforto com o aumento das mamas masculinas.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A ginecomastia é uma condição que afeta exclusivamente os homens, causando a hipertrofia das glândulas mamárias, ou seja, o aumento das mamas masculinas. A maioria dos casos ocorre na adolescência (ginecomastia puberal) e tende a regredir espontaneamente.

Henrique Pontes Ferraz, cirurgião plástico e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, esclarece que as causas da doença são variadas. Entre elas, estão o uso de algumas medicações, drogas como a maconha, esteroides anabolizantes, distúrbios hormonais, doenças hepáticas e renais e desordens genéticas.

ginecomastia

Entenda a ginecomastia

Segundo o cirurgião plástico, não existe uma predisposição definida no nascimento. Há uma variante denominada ginecomastia neonatal, em que o recém-nascido, que estava exposto aos hormônios maternos durante a gestação, desenvolve a condição. Nesses casos, ela geralmente regride espontaneamente.

“Não há como identificar pacientes que apresentem uma predisposição para desenvolver a doença no futuro”, completa.

Apesar de a maior incidência ser em adolescentes, a ginecomastia pode se desenvolver em qualquer fase da vida. Além disso, o especialista aponta que a condição pode afetar uma ou ambas as mamas. “Quando unilateral e de crescimento rápido, devemos dar uma atenção maior, a fim de excluir qualquer doença maligna”, comenta o especialista.

Fique atento: nem sempre o aumento das mamas significa ginecomastia. Quando essa mudança ocorre em decorrência do acúmulo de gordura localizada - e não pelo desenvolvimento da glândula mamária masculina - a condição recebe o nome de pseudoginecomastia. Para efeitos práticos, ambas as condições dividem a similaridade do tratamento.

É preciso operar?

Pontes Ferraz afirma que a ginecomastia é uma condição benigna, embora em alguns casos possa existir uma neoplasia associada. “Exames como ultrassonografia e mamografia podem ser necessários para afastar a malignidade e estudar melhor a composição dos tecidos mamários”.

Felizmente, o câncer de mama masculino permanece como uma patologia rara e a maior parte das cirurgias de correção da ginecomastia tem finalidade puramente estética.

A cirurgia pode ter diferenças para cada caso e depende do grau de ginecomastia. Casos leves podem ser tratados com lipoaspiração, ressecção da glândula ou associação de ambos. Já em casos mais graves, são necessários procedimentos mais complexos, como, por exemplo, a ressecção de pele.

O cirurgião plástico esclarece que a recuperação não costuma ser demorada. “Na maior parte dos casos, o paciente retorna às atividades rotineiras dentro de uma ou duas semanas”, explica Pontes Ferraz. Atividades físicas que envolvam os membros superiores são liberadas em torno de 30 ou 45 dias depois do procedimento.

A busca por um cirurgião plástico é fundamental para apontar com segurança a necessidade da operação. A partir da consulta com um profissional, uma avaliação minuciosa deverá ser feita para decidir o melhor tratamento para cada caso.

Gostou das dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça de continuar ligado nas novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
saúde masculina
mamas masculinas
câncer de mama
hormônios

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ