Estética

08/06/2015 12:16 - Atualizado em 01/11/2016 04:07

Revitalize a pele com a eletroterapia estética

O procedimento é usado para rejuvenescer a pele do rosto e tonificar a musculatura do corpo.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Você está procurando um tratamento simples e indolor para revitalizar a pele? Então a eletroterapia estética pode ajudar. O procedimento utiliza correntes elétricas que promovem a regeneração das células, combatendo rugas, olheiras, linhas de expressão e até mesmo celulite.

Além do rejuvenescimento, o método também tem como resultado a diminuição da flacidez e a recuperação da elasticidade, do tônus muscular, da viçosidade e do brilho da pele. A técnica é usada em diversos tratamentos faciais e corporais, proporcionando mais saúde e beleza para as mulheres que querem continuar com um aspecto jovem mesmo com o passar dos anos.

eletroterapia estetica

Como funciona a eletroterapia estética

Existem várias técnicas que utilizam a eletroterapia estética, tanto para tratamentos faciais quanto para corporais. Também chamado de eletrolifting, o procedimento é feito através de corrente galvânica, que produz estímulos elétricos, promovendo a regeneração da pele.

A descarga elétrica é produzida por um eletrodo que libera ozônio. Essa substância tem propriedades bactericida (elimina as bactérias anaeróbicas), fungicida (auxilia no tratamento de fungos), oxidante (age como renovador celular), cauterizante (seu efeito hemostático estanca pequenos ferimentos) e esterilizante (destrói agentes invasivos).

A eletroterapia estética é um processo não invasivo, e as correntes elétricas têm intensidade muito baixa, não provocando dor ou desconforto. A utilização dos estímulos no organismo produz movimentos e altera a temperatura, o que causa mudanças fisiológicas e bioquímicas no corpo.

Essas alterações aumentam a velocidade do metabolismo, melhorando a circulação, a nutrição, a hidratação e a oxigenação dos tecidos. Também desobstrui os gânglios linfáticos, aumenta a velocidade de cicatrização e estimula a produção de colágeno, promovendo o equilíbrio da saúde da pele.

Nos tratamentos faciais, a eletroterapia estética é usada para combater as olheiras, reduzir as linhas de expressão e promover uma revitalização cutânea, conquistando um aspecto mais jovem e brilhoso para o rosto. Os equipamentos que produzem as correntes elétricas variam de acordo com o tratamento e o caso de cada pessoa, sendo indicadas pelo menos oito sessões.

Já para o corpo, o procedimento ajuda a tonificar a musculatura, diminuindo a flacidez e modelando os músculos, o que melhora os contornos e as formas corporais. É indicado principalmente para regiões como abdômen, glúteos e coxas, pois ajuda a eliminar gordurinhas localizadas e suavizar celulites e estrias.

Cuidados e contraindicações

Os tratamentos com eletroterapia estética são indicados para combater a flacidez muscular, proporcionando o rejuvenescimento da pele. Pessoas a partir dos 30 anos - ou até antes, de acordo com algumas característica genéticas - começam a sofrer com a perda de musculatura ocasionada pela idade, podendo então recorrer ao procedimento.

O uso é contraindicado para gestantes e pessoas com cardiopatia, hipertensão, diabetes, doenças renais e alta sensibilidade local ou portadores de marca-passo, placas e pinos metálicos.

Gostou das dicas de beleza? Deixe seu comentário! E aproveite para continuar acompanhando as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
flacidez
tônus
rugas
celulite

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ