Estética

03/09/2015 01:37 - Atualizado em 05/12/2016 08:20

Parabenos: Substâncias dos cosméticos merecem atenção

Não há riscos, desde que os produtos sejam utilizados nas quantidades permitidas.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Ao ler a embalagem de algum cosmético, talvez você já tenha reparado na quantidade de parabenos. Porém, muitas pessoas não têm conhecimento sobre a importância de se certificar que o item atende às normas de saúde.

As substâncias são frequentemente utilizadas com propósito de conservar e manter a integridade do produto, já que micro-organismos podem alterar algumas propriedades. No entanto, a presença em excesso pode desencadear uma série de problemas e, por isso, exige atenção dos consumidores.

mulher usando creme com parabenos no rosto

O que são parabenos?

Dra. Juliana Leitão, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), explica que parabenos são ésteres de ácido di-hidroxibenzoico,  usados para preservar alimentos, medicamentos e cosméticos.

"São encontrados em cremes, pomadas e produtos de beleza por não possuírem cheiro ou cor, sendo estáveis e com ampla atividade antimicrobiana", afirma a médica.

Eles podem reagir de forma cruzada com metil, etil, propil e butilparabeno, compostos com poder sensibilizante e, assim, desenvolver uma reação alérgica. "Esse tipo de reação, no entanto, é infrequente e ocorre, principalmente, quando  aplicado sobre pele previamente irritada ou lesionada", esclarece Dra. Juliana.

Compostos de parabenos são utilizados há um longo período pela indústria farmacêutica e, desde 1960, estuda-se o risco de dermatite de contato alérgica após seu uso prolongado. "Estudos revelam bom perfil de segurança, com risco máximo estimado em 3%, o menor quando comparado a outros 15 conservantes presentes no mercado", afirma a dermatologista.

Considerando seu baixo poder de sensibilização, sua baixíssima toxicidade e seu amplo emprego, parabenos não constituem risco significativo para os consumidores. Atualmente, há testes de contato disponíveis para verificar possibilidade de reação alérgica para pacientes com história de sensibilização ao composto.

Saiba Mais
Alérgica a cosméticos? Aprenda a fazer batom em casa
Maquiagem hipoalergênica é a salvação das peles sensíveis
Como tratar a pele sensível: dicas, cuidados e produtos

Segundo a médica dermatologista, produtos contendo parabenos devem ser aplicados somente sobre pele sã e íntegra. Seu uso não é recomendando na presença de eritema, edema ou quaisquer evidências de irritação local.

Consumidores sabidamente alérgicos ao grupo parabeno (metil-,etil-,propil-,butil-) devem estar atentos aos rótulos dos produtos e evitar seu uso.

Estudos alertam para perigos

Apesar de ainda serem consideradas seguras, estudos mostram que as substâncias pode estar associada a perigos.

Uma pesquisa feito pela University of Reading, no Reino Unido, publicada no Journal of Applied Toxicology, em 2004, revelou que os parabenos podem apresentar propriedades estrogênicas. Na pesquisa analisando casos de câncer de mama, cientistas encontraram concentrações das substâncias nos tecidos cancerígenos.

Ao redor do mundo, há uma campanha de diminuição de parabenos em produtos. No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou quantidades máximas permitidas nas composições: 0,4% de cada parabeno e 0,8% no total.

Pequenas quantidades não representam riscos, desde que aplicadas em uma pele saudável. No entanto, muitas empresas cosméticas estão apostando em reformulações livres desses conservantes.

Seja qual for sua escolha, é importante certificar-se de que o seu creme de uso diário atenda às normas previstas pelos órgãos reguladores.

Gostou do artigo? Deixe seu comentário! E aproveite para conferir outras dicas de saúde e beleza aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
cosméticos
dermatite
câncer
conservante

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ