Estética

08/09/2014 04:00 - Atualizado em 07/12/2016 06:37

Cirurgia plástica na terceira idade é saída para quem quer rejuvenescer

Riscos, cuidados especiais e cicatrização na cirurgia plástica na terceira idade

POR

Redação

  • +A
  • -A

Para amenizar os efeitos da passagem do tempo, é cada vez mais comum ver pessoas buscando técnicas de cirurgia plástica na terceira idade. Mas, assim como os procedimentos estéticos e cirúrgicos feitos em outros períodos da vida, elas requerem atenção especial em alguns pontos. Por isso, preparamos um pequeno guia para decidir se vale a pena a cirurgia plástica na terceira idade.

cirurgia-plastica-na-terceira-idade

Alertas da cirurgia plástica na terceira idade

Check-up

Ainda que extremamente viável, a cirurgia plástica na terceira idade requer alguns cuidados prévios. O primeiro é um check-up médico. Apenas por meio de exames clínicos será possível que o profissional responsável pela cirurgia ateste se há ou não condições físicas de passar por uma cirurgia.

Há casos em que o paciente não consegue fazer o teste ergométrico, o que já demonstra que ele não está apto a passar por um procedimento cirúrgico com fins estéticos. Já no caso de um paciente com problemas de locomoção, que anda muito devagar e com dificuldade, ele não está apto a uma plástica de abdômen ou mama, mas pode se submeter a técnicas de menor porte, como é o caso da blefaroplastia (também chamada de plástica de pálpebras) e do rejuvenescimento facial, ou lifting facial.

Idade ideal 

Não há uma idade máxima para buscar a cirurgia plástica na terceira idade tudo irá depender das condições clínicas do paciente. No entanto, idade não é fator determinante.

Cuidados especiais

Ainda que não haja uma idade que limite a busca pelos procedimentos estéticos, fazer uma cirurgia plástica na terceira idade representa cuidados especiais: o primeiro deles é que nunca dois procedimentos serão feitos juntos, e sim de forma separada, mesmo que haja proximidade entre as necessidades estéticas. A associação de dois ou mais procedimentos numa única cirurgia não é recomendada ao paciente com mais idade.

Além disso, outra particularidade especial da cirurgia plástica na terceira idade é a circulação, que impossibilita o cirurgião plástico de fazer grandes retalhos ou descolamentos de pele, visto que a recuperação desses tecidos pode ficar comprometida após a cirurgia. Também deve ser considerado um tempo cirúrgico o mais reduzido possível, mantendo o paciente por pouco tempo sob o efeito da anestesia.

Cicatrização

A cicatriz da cirurgia feita em pacientes idosos é curiosamente mais bonita e natural que a cicatriz de procedimentos feitos nos mais jovens. No paciente mais novo, a pele é mais forte e mais grossa e se forma mais rapidamente visto que as células do organismo são novas e mais ágeis. Já no paciente da terceira idade, as células são mais lentas, e o resultado final demora mais para aparecer. Mas a cicatriz fica mais fina, pois a pele é fina, o que esteticamente resulta em uma cicatriz mais bonita.

Motive-se para uma cirurgia plástica na terceira idade

De forma majoritária, a busca pela cirurgia plástica na terceira idade é em grande parte para ajustes na área do rosto. Essa mudança na aparência da face contribui para a melhora da autoestima do paciente, influenciando de forma positiva sua qualidade de vida e, por vezes, melhorando também as interações sociais, tão importantes nessa fase da vida.

Gostou da matéria? Comente o que achou! Quer mais? Curta a página do Vivo Mais Saudável no Facebook.

TAGS
cirurgia plástica
terceira idade
qualidade de vida

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ