Corpo

05/08/2014 09:00 - Atualizado em 04/12/2016 12:11

Corrente russa é opção de tratamento para imperfeições na pele

Corrente russa tem uso estético, embora tenha sido desenvolvida para astronautas.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Ela não nasceu com finalidades estéticas, mas foi deste modo que a corrente russa tomou proporções mundiais. Hoje ela já é um dos tratamentos mais requisitados nas clínicas de estética e apresenta resultados satisfatórios no tratamento de celulite, flacidez e redução de medidas. Conheça os benefícios desta prática que está atraindo as mulheres.

corrente russa
Aplicação da corrente russa deve ser feita em dermatologistas ou fisioterapeutas. Foto: Shutterstock

Como o nome do tratamento denota, a corrente russa foi criada pelo russo Yakov Kots, há cerca de 30 anos. Na época, o objetivo da atividade era proporcionar a reestruturação muscular dos cosmonautas (os astronautas da então União Soviética) que, por passarem muito tempo sem contato com a gravidade, voltavam à Terra com atrofia muscular e flacidez. 

O que é a corrente russa

A prática consiste no posicionamento de eletrodos próximo ao ventre do músculo que será tratado. As aparelhagens emitem uma corrente elétrica alternada de baixa voltagem que, em contato com a pele, produz uma contração muscular no local. Este efeito resulta na melhora da tonificação muscular e estimula a circulação sanguínea e linfática. 

O principal objetivo com que a corrente russa é aplicada é a celulite. Por ser eficaz no fortalecimento muscular ao mesmo tempo em que proporciona uma drenagem linfática, o tratamento reduz significativamente o inchaço e as incidências das marcas provocadas pela celulite na região dos glúteos e das coxas. 

Na região do abdômen, o efeito é ainda mais notável. Imagine que uma sessão de 10 minutos, o tempo recomendado para cada local em que a corrente russa será aplicada, equivale a 400 abdominais feitos corretamente. Este efeito é garantido pelo fato de que a contração muscular involuntária promovida pelo tratamento utiliza 40% a mais das fibras musculares do que o que exercício comum.

Os eletrodos emitem uma onda elétrica durante 10 segundos e dão ao músculo 50 segundos de descanso até começar uma nova corrente. Este processo de contração e relaxamento é bastante eficaz na recuperação muscular pós-parto ou pós-lipoaspiração e no tratamento de rugas faciais e no pescoço.

Corrente russa trabalha todas as fibras musculares

O tratamento estimula as fibras vermelhas do tecido muscular, responsáveis pela tonicidade e pela força, mas também trabalha as fibras brancas, que são voltadas para a velocidade. Por atingir profundamente um tecido tão importante para o corpo, a corrente russa só deve ser aplicada por médicos dermatologistas ou fisioterapeutas devidamente capacitados.

A prática utiliza-se de correntes elétricas e por isso não pode ser aplicada em todas as pessoas. Existe uma lista de contraindicações que deve ser consultada antes de iniciar as sessões. Confira:

- Pessoas que possuem marcapasso cardíaco
- Portadores de flebite
- Doença cardíaca
- Doença renal
- Epilepsia
- Hipertensão arterial
- Trombose venosa
- Lesão nos músculos, ligamentos ou tendões da área tratada
- Gravidez.

A corrente russa é utilizada para elevar a capacidade muscular dos indivíduos, mas ela não é substituta para as atividades físicas. Seu efeito é intenso mas não é duradouro se os músculos não forem estimulados após as sessões. Alie o tratamento a práticas de reforço muscular e queima de calorias.

Leia também:

5 tratamentos para rugas na testa

Veja como tratar a pele muito seca

Cuidados necessários com a pele no inverno

Aprenda como tirar manchas do rosto em casa

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ