Cabelos

02/08/2015 01:43 - Atualizado em 28/11/2016 06:00

Efeito tartaruga não precisa de muitos retoques

O "tortoiseshell hair" já fez a cabeça das tops Gisele Bündchen e Izabel Goulart.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Já ouviu falar do efeito tartaruga? Também chamada de “tortoiseshell hair” - em português, “cabelo de tartaruga” -, a técnica utiliza tons mais naturais na coloração dos cabelos. Muito solicitado em salões de beleza, o método é a escolha das tops Gisele Bündchen, Izabel Goulart e Miranda Kerr.

De acordo com Maikel Antunes, especialista em colorimetria, o efeito tartaruga é uma das releituras do estilo ombré, diferenciando-se apenas no contraste entre tons. “As cores utilizadas são marrons, mel, castanhos e caramelos, lembrando o casco da tartaruga”, explica. As mechas dependem do gosto de cada cliente. Elas podem ser mais finas ou mais grossas.

efeito tartaruga

Como apostar no efeito tartaruga

O efeito é recomendado para quem deseja iluminar os fios de forma delicada. As mulheres apaixonadas por cabelos platinados e acinzentados podem não gostar do estilo, já que o mix de cores é fundamentado nos tons caramelo.

Gisele Bündchen, ao apostar na técnica, escolheu colorações que ficam entre mel e dourado. As suas mechas são destacadas na parte frontal da cabeça e mais suaves por todo o resto dos fios. O visual da übermodel pode inspirar quem deseja iluminar o rosto de forma discreta.

Destaque nas passarelas, a técnica é feita com o produto livre no cabelo. Ou seja, elimina o uso de papéis e utiliza apenas a coloração. “Em alguns cabelos, dependendo da vibração da nuance desejada, podem ser feita com o descolorante”, afirma o cabeleireiro. Porém, é necessário o cuidado para manter as raízes com aspecto natural.

efeito tartaruga

A modelo Izabel Goulart conta com mechas mais delicadas e difíceis de perceber. O efeito obtido através da técnica é de um visual leve e semelhante ao natural. O penteado cacheado, sensual e muito feminino, é uma das opções que realçam o efeito tartaruga.

A socialite Olivia Palermo já é conhecida por seu estilo certeiro. A fashionista escolheu mechas finas e distribuídas por toda a cabeça. O resultado é um cabelo com tons menos contrastados, confundidos até com luzes naturais.

Retoque mínimo é vantagem

As vantagens do efeito tartaruga dizem respeito à manutenção. Por envolver tons mais naturais e afastados da raiz, o método não necessita de retoques constantes. “Como as raízes permanecem escuras, você vai custar a perceber o crescimento”, comenta Antunes.

As cores do comprimento, dependendo da coloração escolhida, podem necessitar de reaplicação a cada dois ou três meses.

efeito tartaruga

Por se tratar de uma técnica que não precisa de tanta química, o cabelo mantém a sua qualidade natural quase intacta. Porém, apesar de não exigir tantos retoques, o efeito tartaruga não dispensa a mulher dos cuidados básicos com as madeixas. Tratamentos periódicos de hidratação, por exemplo, ajudam a manter a cor e a umidade natural dos fios.

O especialista Maikel Antunes, por fim, dá uma dica indispensável para estar sempre bonita: “Cuidar e amar seu cabelo nunca é demais”.

E você, amou o efeito tartaruga? Conte para nós! E continue acompanhando o Vivo Mais Saudável para conferir outras dicas de moda e beleza.

TAGS
luzes
Izabel Goulart
Gisele Bündchen
tortoiseshell hair

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ