Terceira Idade

31/08/2014 03:08 - Atualizado em 04/12/2016 10:44

Descubra 5 atividades para idosos com Alzheimer

Atividades para idosos com Alzheimer atuam na preservação das suas capacidades físicas e cognitivas.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A população idosa no Brasil é de 15 milhões de pessoas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Desse total, 900 mil sofrem com o Mal de Alzheimer conforme a Abraz (Associação Brasileira de Alzheimer). A demência desencadeia a desintegração progressiva, homogênea e irreversível das funções mentais.

A prática de atividades para idosos com Alzheimer é fundamental para prevenir a fraqueza muscular e as complicações usualmente relacionadas à inatividade corporal dos pacientes.

atividades-para-idosos-com-alzheimer


Causas da neuropatia ainda são um mistério

A doença ainda não teve suas causas identificadas com exatidão. Sabe-se, contudo, que a enfermidade provoca a redução do hormônio acetilcolina, um neurotransmissor de grande importância no mecanismo cerebral.

Sem poder precisar a causa, a ciência tampouco arrisca uma cura para a neuropatia. Aumentar a sobrevida desses doentes e instruir os familiares sobre como proporcioná-los mais qualidade de vida estão entre os esforços médicos.

Terapias medicamentosas e atividades de estímulo cognitivo costumam ser o foco de tratamento da doença. Entretanto, a preservação das capacidades físicas do paciente não pode ser esquecida.

Benefícios das atividades para idosos com Alzheimer

Benefícios neurológicos e melhora na coordenação, força muscular, equilíbrio e flexibilidade estão entre as vantagens oferecidas pelos exercícios físicos realizados por pessoas acometidas pela doença. Aumento da independência e melhoria da percepção sensorial também são sugeridos como benesses das atividades para idosos com Alzheimer.

Há estudos que indicam ainda a evolução mais lenta da doença entre aqueles que são submetidos a exercícios físicos diários, sem esquecer da constatação de melhoria do humor desses, que passam a apresentar menor frequência nos quadros de agressividade.

Maior flexibilidade articular e melhoria da circulação e do funcionamento intestinal são mais algumas das vantagens percebidas. Quando exercícios físicos são inseridos na rotina, suspeita-se que eles passam a se sentir mais úteis e emocionalmente mais confortados.

Veja 5 atividades para idosos com Alzheimer

Conheça as 5 das atividades para idosos com Alzheimer mais indicadas:

1. Bicicleta ergométrica

Exercício seguro quando paciente é acompanhado. A velocidade das pedaladas deve seguir o ritmo do paciente. Não esqueça de aquecê-lo antes de colocá-lo no aparelho.

2. Natação e hidroterapia

A água, em geral, possui efeito calmante. Além disso, não exige muito das articulações, tampouco requer grandes esforços para equilíbrio.

3. Caminhada

Com calçados antiderrapantes, o paciente, sempre escoltado, pode ser estimulado a marchas leves, em percursos inicialmente breves.

4. Yoga

Os movimentos devem ser adaptados às limitações anatômicas do doente para que, assim, ele possa experimentar algum bem-estar físico e emocional.

5. Tai chi chuan

Apesar de trata-se de uma arte marcial, a prática chinesa é totalmente voltada à busca por tranquilidade e meditação. Ao recriar movimentos de animais e da natureza, o Tai chi chuan pode promover a sensação de equilíbrio ao paciente.

Converse com seu médico

Antes de dar início às atividades para idosos com Alzheimer, é necessário verificar com o médico os tipos de exercícios mais adequados ao paciente, sem esquecer de questioná-lo sobre quais devem ser evitados. Igualmente importante é perguntar o tempo a ser dedicado diariamente aos leves treinos.

Buscar auxílio de um terapeuta ocupacional para organizar a rotina e de um fisioterapeuta para a execução das atividades para idosos com Alzheimer são indicados para que o cuidador não seja sobrecarregado.

Essencial recordar que o tipo de exercício que funciona melhor depende do estágio da enfermidade e do condicionamento do doente. Dica geral é iniciar os trabalhos lentamente e só avançar se o paciente demonstrar aceitação.

Gostou das nossas dicas? Deixe seu comentário!

TAGS
alzheimer
idosos
terceira idade
doença
saúde

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ