Terceira Idade

01/03/2016 12:00 - Atualizado em 07/12/2016 12:56

Combata a artrose no quadril com os exercícios certos

Doença atinge milhões de brasileiros, especialmente idosos.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O tempo vai passando e o seu corpo vai sentindo os efeitos dos anos a mais no RG. Especialmente em pessoas acima dos 60, doenças ortopédicas são mais comuns, entre elas a artrose no quadril.

Segundo levantamento do Ministério da Saúde, cerca de 15 milhões de brasileiros sofrem de artrose. Além do quadril, o joelho, o punho, o ombro e a coluna vertebral são as partes do corpo mais atingidas pela doença. Mas, afinal, o que é e que causa esse mal que afeta tantos idosos no país?

idoso com artrose no quadril e médico

O que é artrose

Também conhecida como osteoartrose, a doença representa o desgaste das articulações ou das cartilagens, conforme explica o ortopedista do Hospital Sírio Libanês João Bergamaschi.“É um processo degenerativo que acomete principalmente as estruturas ósseas com maior carga mecânica”, completa.

Nos dias de hoje, a doença já é associada a diversos fatores, como genes, sobrepeso, lesões e uso excessivo das articulações. Esse último, em especial, é uma das principais causas da artrose no quadril.

De acordo com o ortopedista Marcelo Cavalheiro, esse tipo de lesão também é devido à pratica, durante muitos anos, de atividades físicas de maneira errada. “50% a 80% de todos os casos de artrose no quadril têm esse fator como o principal desencadeante”, adverte.

Entre as principais maneiras de prevenção da doença estão a pratica de atividade física com acompanhamento profissional, controle do peso e estímulo da mobilidade, por meio do alongamento das articulações.

5 exercícios para a artrose no quadril

No entanto, mesmo com esses cuidados, a doença pode se manifestar. Para combater e controlar a dor, além de evitar a progressão do processo degenerativo, é fundamental realizar um tratamento fisioterápico. Confira cinco exercícios para a artrose no quadril.

1. Deitado, movimente seus pés para cima e para baixo rapidamente e de maneira constante. Faça 20 repetições. Esse exercício ajudará a melhorar a sua circulação sanguínea.

2. Também deitado, aperte suas coxas contra a cama e conte até seis. Depois, relaxe e descanse por até 30 segundos. Repita os movimentos em outras dez séries.

3. Deitado de barriga para cima, contraia suas nádegas uma contra a outra durante seis segundos. Depois, relaxe e descanse. O exercício precisa ser repetido outras dez vezes.

4. Agora de pé, encoste-se e apoie o seu corpo na parede. Feito isso, realize pequenos agachamentos. O número de repetições dependerá do grau da sua dor. Se ela estiver muito intensa, suspenda esse exercício.

5. Ao fim, realize exercícios de flexibilidade. Faça alongamentos específicos para coxas e glúteos, sempre respeitando o tempo de 30 segundos de sustentação no limite suportável da dor, sem movimentos abruptos.

Além desses exercícios, alguns medicamentos também podem ser administrados. “ A glicosamina condroitina e o colágeno são alguns deles”, exemplifica Bergamaschi. Se as dores persistiram, procure um médico para aconselhar-se sobre a necessidade, ou não, de uma intervenção cirúrgica.

Gostou das dicas? Então aproveite para compartilhá-las com seus amigos nas redes sociais! E continue ligado nas novidades de saúde e atividade física do Vivo Mais Saudável.

TAGS
fisioterapia
articulações
envelhecimento
dor lombar

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ