Musculação

06/08/2014 09:00 - Atualizado em 04/12/2016 09:16

Veja como evitar a fadiga muscular e amenizar este incômodo pós-treino

Causada por excesso de treino, fadiga muscular tira vontade de seguir com treinos.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Sentir algum tipo de desconforto após uma atividade física é, até certo ponto, normal. Na musculação, é comum a sensação de dor nos músculos assim que se termina o treino. Mas é algo rápido e que logo passa. Muitas vezes, porém, estas dores podem persistir, caracterizando um quadro de fadiga muscular. Este problema pode diminuir a sua vontade de praticar esportes, caso torne-se algo frequente, e acaba desmotivando o atleta.

fadiga muscular
Fadiga muscular dificulta continuidade dos treinos. Foto: Shutterstock

Mas é fácil combater a fadiga muscular, tanto de forma preventiva como no momento em que se é atingido pelas dores. Para isso, será preciso reavaliar os treinamentos realizados, a carga e a intensidade, e também a alimentação. Todos estes aspectos influenciam na resposta do corpo à atividade realizada, deixando-o mais preparado para suportar as exigências do treino e garantir que você tenha condições de malhar sem sentir dores.

O que é a fadiga muscular?

A fadiga muscular acontece quando o glicogênio (uma reserva de carboidratos que fica guardada na musculatura) e a glicose sanguínea são usadas pelo corpo até esgotarem-se. Isso diminui a oxigenação dos músculos, o que provoca um aumento do ácido lático – podendo causar cãibras – e prejudica a transferência de energia. Em casos mais graves, pode provocar até mesmo insônia e depressão.

As principais causas da fadiga muscular são a prática de exercício acima da capacidade muscular ou a má alimentação: no primeiro caso, um trabalho excessivo acaba por consumir todas as reservas de glicogênio e glicose devido ao esforço. No segundo caso, a falta dos nutrientes adequados faz com que o corpo consuma antes do previsto as suas reservas de energia.

Como evitar a fadiga muscular

A melhor maneira de se prevenir para evitar este quadro é mantendo uma alimentação equilibrada, que contenha todos os nutrientes necessários para um trabalho de musculação. Também deve-se tomar muito cuidado para não ultrapassar os limites do seu corpo – não adianta nada tentar levantar mais peso do que é possível para, depois, prejudicar o restante do treinamento devido às dores. Também é importante lembrar-se de alongar os músculos após o treino, pois isso diminui a tensão muscular. O uso de bolas de borracha para massagear os músculos também ajuda a evitar as dores.

Tratamento exige repouso e reeducação

Caso você já sinta a fadiga muscular, é necessário rever o seu treinamento. A melhor maneira de aliviar as dores é com repouso e o uso de bolsas de água quente para relaxar a musculatura. O calor ajuda a diminuir os pontos de tensão dos músculos e também pode ser atingido com uma massagem localizada. Hidromassagem e trabalhos na piscina, sem peso algum de carga, são outras maneiras de diminuir as dores. Para não repetir o quadro, é necessário diminuir o peso e a intensidade das cargas no treinamento assim que voltar à musculação, aumentando ambos de forma progressiva e com calma. Também será preciso mudar a dieta, para garantir que o organismo tenha os nutrientes necessários para não sofrer novos casos de fadiga.

Leia também:

Nutricionistas indicam 9 erros na busca pela perda de peso

Como ganhar massa muscular com saúde

Refeição pós-treino: Como preparar o seu cardápio

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ