Musculação

12/08/2015 12:08 - Atualizado em 03/12/2016 11:59

Uso do clembuterol pode causar insuficiência cardíaca

Substância favorece aumento da massa muscular, mas oferece riscos à saúde.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Popular entre praticantes de musculação e muito utilizado por fisiculturistas, o cloridrato de clembuterol costuma ser recomendado por treinadores para acelerar a queima de gorduras, melhorando resultados da malhação no corpo dos atletas.

No entanto, o uso desse medicamento pode causar efeitos secundários, como nervosismo, tremores, palpitações, vômitos, taquicardia, aumento da pressão arterial e, em casos mais extremos, pode levar até mesmo a uma parada cardíaca.

Substância controlada

O uso do clembuterol no Brasil é, assim como na maioria dos países, é controlado por uma autoridade sanitária - no caso, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A droga é proibida até mesmo pelo Comitê Olímpico Internacional, que classifica o uso como doping.

clembuterol

Em alguns países, o clembuterol é prescrito para tratar pacientes com sintomas de comprometimento respiratório, como portadores de asma. Porém, a popularização do uso do medicamento para emagrecer ou potencializar o rendimento em competições esportivas levou as autoridades a restringir o acesso à substância.

No Brasil, a droga só é permitida para uso veterinário. Criadores de animais foram os primeiros a verificar benefícios do clembuterol para promover o aumento da massa muscular, levando à perda de tecido adiposo subcutâneo nos animais. No entanto, não há estudos suficientes para sustentar que ocorram os mesmos efeitos em seres humanos.

Inclusive, a ocorrência de intoxicação após ingestão de carne com clembuterol levou muitos países a proibirem o uso do fármaco até mesmo na produção de alimentos. Os sintomas mais frequentes decorrentes da ingestão da carne com a substância foram descritos como tremores intensos dos membros, taquicardia, náuseas, dores de cabeça e tonturas.

Efeitos colaterais do clembuterol

Ele tem efeito descongestionante e broncodilatador, daí a indicação a pacientes com problemas respiratórios, em alguns países. Devido a esse efeito, o medicamento provoca também um aumento do ritmo metabólico, motivo pelo qual despertou o interesse de quem quer emagrecer.

A substância age como estimulante no organismo, semelhante à adrenalina e à noradrenalina, mas pode causar efeitos secundários, como nervosismo, tremores, palpitações, vômitos, taquicardia, aumento da pressão arterial e dores de cabeça.

As propriedades estimulantes do clembuterol podem resultar em dificuldades para dormir. Também há risco de cãibras, pois o fármaco conduz a uma maior perda de potássio e de taurina, o que é mais preocupante, pois essa última substância protege o coração.

A insuficiência de taurina é um dos fatores que demonstram como a ingestão desse medicamento pode ter influência negativa no sistema cardiovascular. Há registros na bibliografia médica de infarto do miocárdio entre praticantes de musculação que faziam uso do fármaco, o que aumenta a preocupação.

Você concorda com o uso de medicamentos para aumentar a massa muscular? Deixe um comentário! O Vivo Mais Saudável quer saber sua opinião. Aproveite, também, para conferir outras dicas de saúde e atividade física.

TAGS
medicamentos
massa muscular
emagrecer
taquicardia

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ