Musculação

28/02/2015 03:00 - Atualizado em 07/11/2016 09:31

Endorfina liberada em exercícios ajuda a prevenir o estresse

A endorfina é uma substância que atua como um analgésico natural para o organismo.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Produzida pelo cérebro durante a atividade física, a endorfina é uma substância natural que regula emoções e a sensação de dor ou relaxamento. Ela é capaz de gerar prazer e bem-estar, como uma espécie de analgésico orgânico que reduz estresse e ansiedade. De forma a aliviar as tensões corporais, ela também é recomendada para tratar depressões leves.

endorfina

A eficiência da endorfina contra o estresse é tão grande que a atividade física pode viciar. Atribuída às altas “doses” da substância que são liberadas em certos exercícios, a dependência pode acontecer quando a pessoa se livra da irritação, da ansiedade, da depressão e do mau humor por meio das práticas.

Muitas vezes, as pessoas que se exercitam não gostam exatamente da atividade em si, mas da sensação que ela proporciona, dos resultados orgânicos. Dessa forma, há o “vício”, já que a liberação da substância leva a um estado de plenitude, provocando uma reincidência constante na prática regular dos exercícios.

Endorfina tem efeito duradouro

Segundo algumas pesquisas, os efeitos da endorfina permanecem no corpo por até uma ou duas horas após sua liberação. Em alguns outros estudos, no entanto, as respostas obtidas indicaram presença da substância até 72 horas depois dos exercícios.

A circulação dela no organismo, porém, depende do tipo de atividade física que a pessoa pratica. A endorfina vai sendo liberada aos poucos, desde o início da movimentação, em um processo de adaptação do corpo com a substância.

Um limiar de produção acontece em determinado momento, quando a endorfina se torna perceptível e aparece a sensação de bem-estar, que pode durar mesmo depois do exercício físico. Produzida na hipófise, a substância se junta ao sangue com outros hormônios, como os produtores do crescimento, da adrenalina e do cortisol.

Intensidade do exercício determina a presença de endorfina

Em exercícios de intensidade moderada ou leve, não foram registrados aumentos significativos das taxas da substância no organismo. Já um estudo feito comparando atividades aeróbicas (com cargas que vão crescendo a força) e anaeróbias (que têm pouca duração) descobriu que as concentrações plasmáticas acontecem de maneira parecida.

Não são apenas as atividades físicas que podem liberar a endorfina. A substância pode se espalhar pelo corpo após risadas com os amigos, auxiliando no combate ao estresse e à ansiedade. Segundo um estudo da Universidade de Oxford, na Inglaterra, o esforço físico que o riso requer desencadeia a liberação do “ingrediente da felicidade”.

Rir pode promover sentimentos de bem-estar da mesma forma que um exercício aeróbico intenso. A pesquisa foi feita com voluntários que assistiram a 15 minutos de comédia e conseguiram reduzir dores e ansiedade em 10%.

Para começar a liberar a substância em seu organismo, basta fazer uma avaliação física antes dos exercícios. Conhecer o nível de condicionamento físico e os limites aeróbios e anaeróbios permite que você se movimente de forma segura.

Quanto ao tempo, não há um mínimo ou máximo determinado para o início da liberação. Segundo estudos, qualquer forma de atividade é capaz de aumentar a concentração da substância no corpo.

Gostou das dicas de atividade física? Então deixe um comentário! E concorra agora a um smartphone Sony Xperia enviando um zap para o Vivo Mais Saudável. Adicione (21) 96702-5151 nos contatos do seu celular e responda: "Como um app pode ajudar você a ser mais saudável?". Saiba mais aqui.

TAGS
prazer
tranquilidade
exercício físico
organismo equilibrado

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ