Exercícios e Treinos

09/06/2014 09:00 - Atualizado em 26/11/2016 07:08

Treino aeróbico em jejum é tema controverso. Descubra por quê

Sem cuidados, treino aeróbico em jejum pode queimar massa magra.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O treino aeróbico em jejum, embora possa ser eficiente em alguns casos, é um método perigoso de exercício físico se não for praticado com cuidado e orientação específicos.

A polêmica do treino aeróbico em jejum

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Em tempos de internet, nos quais o acesso a uma infinidade de informações é facilitado, muita gente em busca do corpo ideal, ávida por resultados imediatos na luta contra a balança, busca na web dicas milagrosas para conseguir esse objetivo. Histórias de pessoas que obtiveram bons resultados com uma dieta nova rapidamente se espalham e ganham adeptos que apenas leem sobre as experiências de outras pessoas. É importante sempre ter em mente que cada corpo é um corpo, então, antes de adotar qualquer mudança brusca no seu treinamento ou alimentação, convém consultar um profissional da área e estar bastante ciente de seus possíveis malefícios.

Um dos métodos controversos que prometem uma veloz perda de peso é o treino aeróbico em jejum, uma moda perigosa se adotada sem os devidos cuidados, de acordo com especialistas. As buscas por esse termo nos mecanismos de pesquisa têm crescido bastante, o que aumenta a necessidade de alertar para os perigos da prática inconsequente do método. Essa é uma técnica há muito tempo usada por fisiculturistas, mas agora tem sido adotada pelos mais diversos tipos de pessoas.

O treino aeróbico em jejum funciona?

Também conhecido pela sigla AEJ, o treino aeróbico em jejum consiste na conjunção da barriga vazia e do exercício físico, com o objetivo de queimar gorduras de maneira mais eficiente. Assim, a ideia é que, com o estoque baixo de carboidratos, o organismo use a gordura como fonte principal de energia.

Mas, durante o treino, o limite entre o organismo queimar gordura, carboidratos ou proteínas não pode ser estabelecido. Dessa forma, se as reservas de açúcar começam a ser consumidas, há o risco de hipoglicemia, com sintomas como tontura, suor frio e desmaios. Então, em alguns casos, perder peso não significa emagrecer. Se você perde peso por desidratação e perda de massa muscular, por exemplo, não está ficando mais leve de maneira saudável. O treino aeróbico em jejum também pode deixar o sangue mais ácido, provocando mau hálito e odor desagradável no suor.

Orientação antes do treino aeróbico em jejum

Alguns dizem que o treino aeróbico em jejum pode funcionar se forem seguidos alguns critérios, mas para isso é preciso conhecer bem o exercício, e não apenas correr quilômetros em uma esteira sem nada na barriga. Preferencialmente, o treino aeróbico em jejum deve ser feito por pessoas que já praticam atividades físicos há mais tempo, respeitando uma série de pré-requisitos. Na noite anterior ao treino, por exemplo, é conveniente aumentar o consumo de carboidratos. Antes do exercício, ingerir aminoácidos (para evitar a perda de massa magra) e cafeína são medidas indicadas.

Respeitar a intensidade da atividade também é importante, limitando o consumo máximo de oxigênio em 50% a 60%, ou seja, uma caminhada rápida, no máximo um trote. Por isso, normalmente só quem tem um bom conhecimento de treino sabe dosar bem o ritmo e intensidade necessários.

Mesmo respeitando todas as dicas acima, antes de se aventurar em qualquer nova modalidade de treino físico, consulte um especialista. E caso você siga em frente, realize o treino aeróbico em jejumno máximo três vezes por semana, com a duração máxima de 40 minutos. Esse limite tem um motivo: se a atividade for prolongada além disso, o organismo pode começar a perder massa magra (músculos).

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ