Exercícios e Treinos

22/09/2015 09:00 - Atualizado em 05/12/2016 04:25

Seu tipo de pisada influencia no treino de corrida

Pronada, supinada ou neutra? Desgaste no solado do tênis pode confundir leigos.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Você sabia que pode pisar de maneira diferente que seu colega do lado? Pois é, o tipo de pisada varia de pessoa para pessoa. Existem três, e eles podem fazer diferença no seu dia a dia, especialmente se você pratica algum tipo de atividade física. O calçado, por exemplo, deve ser específico.

tipo de pisada close nos pes do corredor

Entenda cada tipo de pisada

O preparador físico e mestre em biomecânica Sandro Barone explica as características das pisadas pronada, neutra e supinada:

Pisada pronada seria o corredor que, ao tocar o pé no solo, o faz com a parte interna do calcanhar", diz ele,  que é professor de musculação da academia Fórmula, de Osasco-SP. Nesse tipo de pisada, a pessoa mantem a parte interna do pé em contato com o chão. Ao retirá-lo, usa a borda interna do pé, muitas vezes sem tocar o quarto e o quinto dedo no solo.

Na pisada neutra, quando a pessoa toca o solo com a borda externa do calcanhar, aplaina o pé completamente no chão. Durante a retirada, usa a borda interna, sendo o principal ponto de propulsão  o hálux (dedão).

“Já o de pisada supinada o faz tocando o calcanhar com a borda externa do pé, e assim o mantém durante todo o contato com o solo e inclusive durante a retirada. Muitas vezes não há nem contato do hálux”, completa o preparador físico.

[[saiba_mais]]

Há ainda os corredores de ante pé, que são aqueles que não tocam o médio pé no solo durante a corrida; os de médio pé, que encostam no chão com a parte da frente e do meio do pé, sem usar o calcanhar; e os atletas de retro pé, que entram em contato com o solo com a região do calcanhar.

De acordo com Barone, tecnicamente, não há como saber o tipo de pisada fora de condições laboratoriais. “A biomecânica é uma ciência que estuda tal situação e, para tanto, faz-se uso de sensores de imagem com uma frequência de amostragem que seja no mínimo o dobro da velocidade do movimento", esclarece.

Ele ressalta que há muitos leigos que utilizam o desgaste do solado do tênis como parâmetro para definir o tipo de pisada do aluno, mas essa prática não tem base científica. “Tal situação é extremamente empírica e a análise do movimento humano passa por critérios científicos”, alerta Barone.

O que muda de acordo com o tipo de pisada

Atletas profissionais devem reconhecer seu tipo de pisada para evitar erros posturais. O apoio excessivo numa única área do pé pode causar lesões no joelho, no tornozelo e na coluna.

Porém, se você corre de maneira amadora e não tem acesso a testes laboratoriais, dificilmente conseguirá saber se tem pisada pronada, supinada ou neutra. Nesse caso, o importante é fortalecer os músculos e estruturas articulares como um todo.

Quanto à escolha do calçado, a orientação básica é utilizar um bom par de tênis de pisada neutra, já que essa é a mais comum entre a população.

“Escolher um calçado baseado em critérios empíricos pode, acima de tudo, trazer grande prejuízo aos corredores. Opte por um calçado de boa construção, leve, ventilado e que tenha uma boa palmilha", aconselha Barone.

O educador físico também lembra que nenhum par de tênis possui sistema de amortecimento eficiente para grandes impactos. Segundo ele, isso é puro marketing.

O que você achou deste artigo? Deixe seu comentário! E aproveite para conferir outras dicas de saúde e exercícios aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
corrida
lesões
alto desempenho
articulações

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ