Exercícios e Treinos

18/07/2014 05:00 - Atualizado em 04/12/2016 06:24

Emagrecer rápido demais faz mal: veja por quê

Perder peso gradualmente é muito mais saudável do que emagrecer rápido.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A imagem de um corpo magro é associada a uma vida saudável. Mas atingir essa condição a qualquer custo pode trazer mais malefícios do que efeitos positivos. Ter o objetivo de perder peso é excelente - pode ser o primeiro passo para adotar uma rotina saudável -, mas ao executar esse plano devemos tomar cuidados. Emagrecer rápido nem sempre é atalho para uma boa saúde.

Emagrecer rápido faz mal?

Não é possível estabelecer genericamente que emagrecer rápido faz mal. Mas dá para se dizer que emagrecer rápido e sem supervisão pode, sim, ter uma série de efeitos negativos para a saúde e para a beleza.

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Por isso, sempre que você se deparar com dietas milagrosas que prometem uma perda de peso repentina, fique atento. Nunca ponha em prática um hábito desses sem consultar antes seu médico e nutricionista. Pode ser difícil conter a impaciência, mas o melhor caminho para chegar ao peso ideal com saúde é ir devagar.

Malefícios de se emagrecer rápido demais

Se você emagrecer rápido demais, seu corpo não vai ter tempo suficiente para se adaptar às mudanças. Isso pode ocasionar uma série de consequências desastrosas: 

- Alterações hepáticas, devido ao aumento do metabolismo na gordura, prejudicando as funções do fígado

- Alterações no coração, com modificações nos batimentos cardíacos

- Alterações na libido, com uma diminuição na produção de hormônios sexuais, interferindo no interesse sexual anemia, caso haja carência de vitaminas e minerais na dieta; baixa imunidade

- Distúrbio hidroeletrolítico, com a perda de água e sais minerais

- Cálculo na vesícula, devido ao aumento na quantidade de ácido úrico na circulação

- Embolia (coágulos que impedem a passagem de sangue nas veias)

- Flacidez

- Intolerância ao frio, devido à diminuição do tecido gorduroso

- Metabolismo lento

- Osteoporose

- Prisão de ventre

- Queda de cabelos e unhas fracas, por conta de deficiência em vitaminas, zinco e proteínas.

Efeitos psicológico

Se mesmo com tudo isso você ainda não se convenceu e não desistiu de emagrecer rápido, saiba que há também danos psicológicos. Isso porque é um erro achar que corpo e a mente funcionam separadamente.

Perdendo peso de maneira muito rápida, é possível que você ainda tenha a autoimagem de gordo, mesmo que esteja magro. Se o cérebro funciona do mesmo modo que antes, é difícil que você não engorde novamente.

Também é comum ter expectativas frustradas depois de atingir a magreza, porque, ao contrário do que se pode pensar, vários problemas que você tinha antes não são resolvidos de uma hora pra outra, assim como a perda de peso.

Além disso, caso seja adotada uma dieta muito rigorosa, após atingido o objetivo, pode ocorrer uma compulsão alimentar. Isso porque, durante o período da dieta, houve uma privação muito grande de comidas que antes você gostava mas de repente não pode mais comer.

Efeito iô-iô

Todos esses fatores podem contribuir para o chamado “efeito iô-iô”, que faz você retornar ao peso anterior de modo quase tão rápido quanto no emagrecimento. Ele acontece também porque as células de gordura demoram um certo tempo para se acostumar e estimular o cérebro a ficar satisfeito com menos comida.

Tendo em vista todos esses argumentos, chegamos à recomendação para uma perda de peso saudável: dieta equilibrada e exercício físico. Na alimentação, não podemos deixar de ingerir nutrientes básicos que o corpo necessita. Da mesma forma, a atividade física é necessária para queimar calorias e acelerar o metabolismo. A conjugação desses dois hábitos, sem exageros, é o ideal para emagrecer, mesmo que demore um pouquinho mais.

Você já fez alguma dieta drástica? Você acha que fucionou ou ganho o peso de volta? 

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ