Exercícios e Treinos

31/03/2015 12:53 - Atualizado em 02/12/2016 11:57

Conheça os riscos do sedentarismo em todas as idades

Elevação do colesterol, hipertensão e diabetes são alguns dos riscos do sedentarismo no corpo humano.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Deixar de realizar atividades físicas torna o corpo sedentário. O resultado são quilos demais e disposição de menos. Mas os riscos do sedentarismo vão além: ficar parado pode causar doenças sérias.

No Dia Mundial da saúde, conheça maneiras simples de incluir as atividades físicas no seu cotidiano. Aos poucos, você adquire hábitos mais saudáveis e garante qualidade de vida.

riscos do sedentarismo

Principais riscos do sedentarismo para a saúde

Segundo o educador físico Wellington de Campos Monteiro, os principais riscos do sedentarismo são elevação dos níveis de colesterol, hipertensão, artrite, diabetes, acidente vascular cerebral (AVC), câncer, doenças do coração e até mesmo depressão e ansiedade.

Monteiro aponta que o sedentarismo está relacionado com a obesidade e é um dos fatores de risco mais prevalentes na população brasileira.

Atividades físicas indicadas em cada faixa etária

O educador físico lembra que a participação em um programa de exercício leva à redução de 25% nos casos de doenças cardiovasculares e de 10% nos casos de AVC, doença respiratória crônica e distúrbios mentais. Para ele, é necessário um estilo de vida ativo na manutenção da capacidade funcional e da autonomia física na rotina.

Existem atividades físicas que auxiliam o organismo a funcionar melhor em cada época da vida. Confira:

Na infância e na adolescência

É importante começar a se movimentar desde cedo. Além de diminuir os riscos do sedentarismo, cria-se a consciência da necessidade dos exercícios para viver a fase adulta de maneira saudável.

Estimule o bebê com brinquedos sonoros, canções com gestos e brinquedos espalhados para que ele possa alcançar. Teatro de fantoches e dança livre ao som das músicas preferidas da criança também ajudam. Quando ele crescer mais um pouco, proponha exercícios que envolvam correr, pular, chutar e agarrar.

A partir dos oito anos de idade, sugira a prática de natação, futebol, vôlei, basquete, handebol, tênis, artes marciais, esgrima ou ginástica rítmica.

Na meia-idade

Segundo pesquisa apresentada no encontro da Associação Americana do Coração, pessoas que não se exercitam na meia-idade têm um volume cerebral menor que aquelas que praticam atividade física, quando chegam aos 60 anos. O tamanho do cérebro é também um indicador do envelhecimento.

Por isso, a atividade física ajuda a prevenir doenças, melhorar a saúde psicológica, evitar o envelhecimento precoce e manter um elevado nível de qualidade de vida.

Na meia-idade, deve-se praticar exercício físico de forma moderada e gradual, de acordo com as capacidades. A aptidão física e a saúde vão melhorando aos poucos. É preciso manter a regularidade e fazer exercícios durante no mínimo meia hora, pelo menos duas vezes por semana.

riscos do sedentarismo

Na terceira idade

Após os 60 anos de idade, os exercícios indicados são musculação, dança e pilates. A musculação atua no aumento da força e da resistência, diminuindo a pressão sobre as articulações. A dança melhora o equilíbrio e a coordenação motora. Já o pilates auxilia na respiração e na flexibilidade.

Pronto para começar? Conte para nós qual seu esporte favorito! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para conferir dicas de saúde e ficar por dentro de todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
vida sedentária
obesidade
desenvolvimento saudável
bem-estar

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ