Esporte

14/02/2016 12:00 - Atualizado em 12/11/2016 06:54

Saiba como engravidar sem abandonar o esporte

Atletas de alto desempenho podem encontrar dificuldade para ficar grávidas.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Estar bem de saúde é sempre necessário, ainda mais se há planos de engravidar. O público leigo pode até imaginar que atletas não vão ter problemas em relação a isso, já que possuem uma vida ativa, com exercícios e alimentação regrada.

Porém, a rotina não garante perfeição. Esportistas podem enfrentar problemas hormonais ou ter dificuldades na hora de retornar à rotina. É necessário, assim, um acompanhamento específico para realizar o sonho de ser mãe.

Mulher queria engravidar e está na piscina

Atletas têm dificuldade para engravidar

Tudo que é demasiado não faz bem, inclusive esportes. Se o sedentarismo é um vilão, exercícios intensos podem não ser exatamente ruins, mas tornam difícil a possibilidade de engravidar. Competidoras de modalidades como corrida, ciclismo, ginástica e natação são as mais afetadas.

As mulheres participam cada vez mais ativamente do mundo esportivo, tendo sido 44% dos atletas nos últimos Jogos Olímpicos, em Londres. A essa informação, soma-se o fato de que o estresse físico e mental das cobranças dos técnicos e da expectativa por resultados também afeta a saúde endócrina feminina.

Dessa forma, é comum que, entre atletas ou dançarinas, a primeira menstruação seja retardada e a organização hormonal seja afetada. Pode haver até ausência de menstruação. Logo, é preciso acompanhamento médico não só em função do rendimento esportivo, mas também em relação à saúde do sistema reprodutivo.

A prática esportiva também pode aumentar a chance de contrair doenças como a candidíase, por causa do aumento de umidade e calor na região íntima. Esse é mais um fator para acompanhar a saúde reprodutiva de perto, pois pode influenciar quando a atleta quiser engravidar.

Alimentação e estresse interferem

A alimentação das atletas pode ser um fator de bloqueio. Às vezes, é necessário aumentar o número de calorias para a menstruação retornar e favorecer uma gravidez.

Geralmente, o estresse torna difícil engravidar, seja pela rotina de treinos ou pelo medo de não conseguir voltar à boa forma depois do parto. Porém, é possível manter certas atividades físicas durante a gestação, como natação e corrida, sempre com acompanhamento médico e tendo atenção ao novo eixo do corpo, que muda conforme o bebê cresce.

Especialmente nos casos em que a atleta não puder diminuir os treinos, recomenda-se procurar um profissional para induzir a ovulação. A reposição hormonal também pode atuar como forma de prevenção da perda de massa óssea.

Existem alguns exemplos recentes de atletas que engravidaram e retornaram ou estão retornando à rotina de treinos. É o caso de Jaqueline, jogadora de vôlei, que deu a luz a um filho do também jogador Murilo. Ela relatou fazer musculação e cuidar da alimentação como forma de recuperar o peso e a forma para voltar a competir.

Também está se preparando para voltar às competições a lutadora de MMA Kinberly Novaes, que descobriu estar grávida após uma luta em que o exame não havia sido exigido. Ela lutou - e venceu - com três meses de gravidez. Agora, após o nascimento do bebê, pretende voltar ao octógono ainda no primeiro semestre de 2016.

Você é esportista e pretende ter um bebê? Que achou das dicas? Deixe um comentário! E aproveite para conferir outros artigos de saúde e atividade física aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
gravidez
atletas
menstruação
ovulação

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ