Esporte

02/09/2014 12:53 - Atualizado em 07/12/2016 02:01

Prática do badminton queima gordura e retarda o envelhecimento

Ainda engatinhando no Brasil, badminton pode ser aliado na perda de peso.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Segundo esporte mais praticado do mundo, o badminton ainda é apenas uma palavra difícil para a maioria dos brasileiros. Essa realidade, no entanto, pode mudar em breve.

A cada dia, o esporte olímpico conquista mais entusiastas, principalmente pelos benefícios de sua prática à saúde. Queima de calorias, perda de peso, fortalecimento do sistema cardiovascular e retardo do envelhecimento: essas são apenas algumas das vantagens que a prática do badminton oferece.

Badminton alia velocidade e força

Considerado o esporte de raquetes mais rápido do mundo, o badminton se assemelha ao tênis e é disputado em uma pequena quadra dividida por uma rede, individualmente ou em duplas.

badminton

O objetivo do jogo é bastante simples: fazer a peteca cair sobre a quadra do adversário. Formada por 16 penas de ganso, a peteca é muito leve e pode chegar a até 350 km/h no momento do impacto, exigindo movimentos ágeis e muito velozes dos jogadores.

A estimativa é de que, durante uma partida, cada atleta execute mais de 2 mil golpes, sendo 200 deles golpes de força, em que há a intenção deliberada de pontuar.

badminton

Calorias

Tanto esforço tem recompensa: um adulto pode queimar até 370 calorias com uma hora de exercício moderado, com fins recreativos.

Esse gasto calórico ultrapassa a prática do vôlei, da dança e da caminhada, por exemplo. Por outro lado, se o exercício tiver fins competitivos ou profissionais, o número pode ultrapassar as 500 calorias, o que equivale à prática do basquete e do ciclismo.

Envelhecimento

Embora não haja estudos conclusivos nesse sentido, é possível afirmar que a prática do badminton, em virtude dos movimentos de sprinting, lunges, pulos, saltos e alongamentos, previne a osteoporose, doença que acomete principalmente as pessoas de mais idade.

Além disso, há benefícios duradouros para o sistema cardiovascular - um jogador profissional pode chegar a 200 batimentos cardíacos por minuto -, melhorias no equilíbrio, na resistência física e no metabolismo de quem pratica o esporte com regularidade.

Badminton no Brasil

Muito popular em países asiáticos, como Paquistão, Índia, China, Indonésia, Tailândia, Malásia e Japão - explicando assim a presença de nove países asiáticos entre os dez primeiros no ranking mundial do esporte -, o badminton ainda engatinha no Brasil. Hoje, são 7 a 8 mil jogadores federados, num universo de 60 mil praticantes, número muito pequeno para o segundo esporte com mais praticantes no planeta. No nível de elite, o Brasil tem três jogadores entre os 100 melhores do mundo e ocupa a 32º posição do ranking mundial de seleções.

O esporte entrou para o quadro olímpico em 1992, nas Olimpíadas de Barcelona. Para fazer bonito nas Olimpíadas do Rio, em 2016, ocasião em que o país tem duas vagas garantidas por ser o anfitrião, a seleção brasileira treina concentrada em Campinas (SP), com o apoio de uma equipe multidisciplinar, além da orientação do técnico português Marco Vasconcelos.

E aí, ficou tentado a experimentar o badminton? Então deixe um comentário e curta nossa página no Facebook para ficar por dentro de todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
esporte
atividade física
saúde

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ